Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Setembro 26, 2017

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Terceira Pessoa avança com novos projetos para 2014

Carlos Castela

A Terceira Pessoa – Associação Cultural de Castelo Branco, vai avançar com dois novos projetos em 2014.

A dupla formada por Ana Gil e Nuno Leão arrancam já em janeiro com o projeto “Inscrição”, que segue o caminho iniciado com os anteriores projetos “Kurt Cobain” que decorreu em 2012 e o projeto “Hey You” (2013) que irá terminar em dezembro de 2013.

“Inscrição” é um projeto dirigido a pessoas de todas as idades que irá funcionar com duas oficinas distintas, uma dedicada ao teatro cujo início está previsto já para o mês de janeiro e que será concluída em julho do próximo ano, com uma apresentação final em Castelo Branco.

A segunda oficina será dedicada à leitura e tem como público-alvo pessoas maiores de 18 anos, sendo que esta última irá decorrer nos meses de fevereiro e março e conta com a orientação de Diogo Martins, professor e investigador da Universidade do Minho.

No que diz respeito à oficina de teatro, a orientação estará a cargo da dupla Nuno Leão e Ana Gil.

O projeto “Inscrição” tem como base o livro do filósofo José Gil “Portugal Hoje – O Medo de Existir” que segundo Nuno Leão “será lido e pensando na oficina de leitura e posteriormente aplicado na prática, na oficina de teatro”.

As inscrições para participar neste projeto estão abertas até ao dia 6 de dezembro e podem ser feitas através do endereço eletrónico terceirapessoa2012@gmail.com ou pelo telemóvel 968431097.

O segundo projeto da Terceira Pessoa para o próximo ano “Primeira Infância”, tem o arranque previsto para o mês de março e é dirigido a pessoas de todas as idades e será composto por um total de quatro oficinas dirigidas ao público, a primeira das quais será dedicada à dança, tendo a particularidade de ser dirigida a crianças até aos cinco anos de idade, mas que obrigatoriamente terão que ter o acompanhamento de um adulto.

A segunda oficina do “Primeira Infância” é dedicada à escrita criativa dirigida a um público de todas as faixas etárias, a terceira oficina é dedicada à ilustração e por último, a quarta oficina que tem como ponto de partida a música eletrónica.

 

A envolvência ativa do espetador

 

Nuno Leão e Ana Gil, conheceram-se em Lisboa, onde frequentaram ambos a Escola Superior de Teatro e Cinema.

Após a conclusão das respetivas licenciaturas em teatro, decidiram avançar com a criação de um projeto em Castelo Branco.

Nasce então a Terceira Pessoa- Associação Cultural, uma vez que esta dupla criativa sentiu que a cidade albicastrense precisava de “projetos de criação artística”, com um enfoque especial nas artes performativas.

A criação e a produção de Ana Gil e Nuno Leão centram-se fundamentalmente na reflexão sobre a prática do teatro, “numa atitude de constante experimentação e renovação”, envolvendo o espetador ativamente.

Por outro lado, a Terceira Pessoa pretende ser um projeto de aproximação da comunidade aos territórios culturais da sua região.

Tendo como base três eixos fundamentais, a Terceira Pessoa centra a sua atividade na formação de públicos, “numa aproximação constante da comunidade local de Castelo Branco com os territórios artísticos e culturais da sua zona de residência, bem como de outros locais”.

Segundo Ana Gil e Nuno leão, o projeto orienta-se “no sentido de reforçar a identidade cultural das populações, através da aproximação à comunidade artística” e na criação de “dinâmicas culturais locais”.

Um segundo eixo do projeto foca-se na aproximação dos públicos às linguagens artísticas contemporâneas, sendo que todas as as propostas promovidas pela terceira Pessoa, “assentam em trabalhar as artes no sentido de desenvolver uma linguagem contemporânea, desenvolvendo no indivíduo um sentido crítico e ativo em relação à realidade envolvente”.

Por último, o terceiro eixo de ação, em complementaridade com os restantes, foca-se na produção de objetos com assinatura da companhia e difusão de Portugal, como lugar central de produção artística e de projetos comunitários a nível internacional.

 

Aproximar as pessoas ao projeto

 

É neste sentido que em 2012, a terceira Pessoa começa a desenvolver o seu trabalho na região de Castelo Branco. Neste ano, avançam com o projeto “Kurt Cobain”, que propõe a experimentação de um projeto criativo e artístico a jovens com idades entre os 13 e os 18 anos, na zona de Castelo Branco.

Este projeto teve como objetivo a promoção do contato com práticas de experimentação e criação contemporâneas, onde o teatro foi proposto como linguagem que cruza várias disciplinas artísticas.

O projeto criativo “Kurt Cobain” passou pelo Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco , pela Moagem – Cidade do Engenho e das Artes no Fundão e marcou presença no Festival Satyrianas em São Paulo (Brasil).

Já este ano, a Terceira Pessoa aalargou o seu leque de propostas a novos públicos. Desenvolveu o projeto “Hey You”, numa parceria que envolveu a Câmara Municipal de Castelo Branco e que envolveu um grupo de 70 pessoas de todas as idades da comunidade albicastrense, que durante seis meses criaram o espetáculo “Hey You” que tem como base a música dos Pink Floyd com o mesmo nome.

Este espetáculo foi apresentado em junho e outubro deste ano, no Cine-Teatro Avenida e marcou ainda presença no festival Teatro Agosto de 2013, na cidade do Fundão.

Ainda no âmbito do “Hey You”, a Terceira Pessoa deu início a um ciclo de conversas em torno da arte contemporânea com o nome de “Serviço Público”, que decorreu também no Cine-Teatro Avenida, nos meses de abril e maio.

Ainda no decorrer deste ano, a Terceira Pessoa desenvolveu um projeto de animação cultural e artística que envolveu não só os utentes do lar de Zebreira, como ainda os seus familiares. Foi ainda produzido pela associação um pequeno documentário, editado em DVD, sobre este processo, cuja realização esteve a cargo de Nuno Leão.

Nuno Leão e Ana Gil sublinham que a Terceira Pessoa, tal como o próprio nome indica, pretende trabalhar sempre com mais alguém. Queremos aproximar sempre cada indivíduo que se cruze connosco ao nosso projeto, para que este se torne também dele ou deles”.

Comentar

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.