Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 31, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Miguel Macedo inaaugura Aeródromo e base de Apoio Logístico de Castelo Branco

Carlos Castela

Passado pouco mais de um ano da parceria estabelecida entre a Câmara Municipal de Castelo Branco e o Ministério da Administração Interna, protocolo esse celebrado em Évora, Miguel Macedo veio à cidade albicastrense inaugurar o Aeródromo Municipal e a Base de Apoio Logístico que serve a Força Especial de Bombeiros e a Proteção Civil e que desde o dia 1 de julho está operacional.

 

 

O investimento total foi de seis milhões de euros. O Aeródromo tem uma pista de 1.600 metros e poderá ter fins comerciais, caso haja interessados nessa exploração.

A gestão ficará a cargo da Câmara Municipal de Castelo Branco que tem ainda 400 hectares de terreno em torno daquelas duas infraestruturas, podendo em qualquer momento ampliá-las.

Em relação à Base de Apoio Logístico que ocupa uma área de dois mil metros quadrados, tem capacidade para receber 120 bombeiros e possui ainda nove quartos, salas de reuniões, refeitório, sala de estar e sala de operações.

O ministro da Administração Interna considera a infraestrutura “um bom investimento” e diz que é sobretudo importante para o país.

“É uma base logística no centro do pais na encruzilhada de zonas complicadas em termos de proteção civil e permite criar excelentes condições aos operacionais que no dia a dia salvaguardam pessoas e bens”.

Miguel Macedo cumprimentou o presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco porque considera que se trata de “uma infraestrutura única que era necessária e que vai desempenhar um papel muito importante do ponto de vista logístico e de planeamento das ações de proteção civil”.

Durante a cerimónia ocorrida nos Paços do Concelho, o governante que disse conhecer Joaquim Morão há muito tempo, realçou a importância de “independentemente das cores políticas a cooperação institucional entre o Poder Central e o Poder local é absolutamente decisivo para que o pais ultrapasse situações de constrangimento que temos nas mais diversas áreas, mas sobretudo porque entendo que essa cooperação institucional bem feita se traduz em maior eficiência e eficácia designadamente quando estão em causa equipamentos como este”, disse.

O governante sublinhou ainda que em Castelo Branco desenvolveu-se um projeto muito interessante. “Uma base logística que é necessária que vai receber a força especial de bombeiros e que permite em situações de crise constituir uma base de apoio essencial e indispensável a todos aqueles que em condições muito difíceis trabalham para minorar os riscos das pessoas e bens. Passamos a ter aqui um aeródromo e uma base logística capaz de acorrer a situações no concelho, no distrito e na região que a todos nos afligem”, refere.

Por outro lado, o ministro realçou a execução do projeto num tempo muito bom em termos de eficácia pelo que devemos estar “todos muito satisfeitos”.

Miguel Macedo disse, no entanto, que o mais importante “é que estamos a concretizar um projeto importante para o país. Temos que ter algumas bases destas espalhadas pelo País. Estes são bons investimentos. Tenho dito que não podemos nem devemos permitir que acresça às difíceis condições orçamentais em que o país está uma situação de insegurança. Isso seria agravar as condições que são necessárias para a recuperação do País. Sem segurança é mais difícil captar investimento e mobilizar investimento necessário para criar riqueza e emprego. Portugal é no essencial um país seguro e assim deve continuar a ser”, disse.

 

Orgulho no trabalho feito

 

Por seu turno, Joaquim Morão considera que esta é uma excelente infraestrutura para Castelo Branco e que pode ter as mais variadas utilizações.

O presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco refere que se trata de uma estrutura de grande importância não só para a região mas também para o país.

“Não nos limitamos a ir ao aeródromo fazer uma mera inauguração. Quisemos recebê-lo na Câmara como ministro e membro do Governo de Portugal, no local mais nobre de Castelo Branco que é a Câmara Municipal e o seu salão nobre”, disse o autarca albicastrense dirigindo-se a Miguel Macedo.

O autarca sublinhou que se tratam de dois investimentos importantes para Castelo Branco, o aeródromo municipal, uma aspiração de largas décadas que está concretizado e a Base de Apoio Logístico que irá servir a Proteção Civil, dois equipamentos que Joaquim Morão considera também muito importantes para o desenvolvimento de dois sectores fundamentais da nossa economia: O turismo e a floresta.

O presidente diz que a Câmara de Castelo Branco “orgulha-se” do trabalho feito e da obra que muitas vezes ultrapassa as próprias obrigações da autarquia.

“No concelho de Castelo Branco ao contrário do que acontece na maioria do país, as forças de segurança dispõem de instalações dignas para o desempenho das suas funções e isto é verdade para a GNR, PSP e bombeiros. O executivo a que presido orgulha-se de ter trabalhado para a dignificação das forças de segurança numa situação radicalmente diferente da que encontrámos quando tomamos posse há 16 anos”, recordou Joaquim Morão, num breve balanço sobre a obra feita em áreas que estão sob a tutela de Miguel Macedo.

Por outro lado, Morão sublinhou ainda que os bombeiros em Castelo Branco têm todas as condições para desempenhar a sua função. Foram adquiridas novas viaturas, foi resolvida a dívida do novo quartel que já foi ampliado por duas vezes e a autarquia criou ainda condições financeiras para que os bombeiros vivam sem sobressaltos, atribuindo anualmente 300 mil euros e faz todo o investimento que necessitam.

“Esta é a nossa visão. Tudo isto foi possível porque houve uma forte cooperação e colaboração entre a câmara e os serviços que tutela”, disse Joaquim Morão.

Com o Aeródromo Municipal e a Base de Apoio Logístico o autarca considera que “fechamos com chave de ouro” um conjunto de investimentos feito ao longo dos anos.

 

 

Comentar