Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Agosto 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Misericórdia do Fundão candidata projetos aos fundos comunitários

José Lagiosa

A Misericórdia do Fundão vai candidatar diversos projetos ao próximo quadro comunitário de apoio, no qual vê “uma janela de oportunidade”, disse o provedor, Jorge Gaspar, durante a tomada de posse dos órgãos sociais daquela instituição.

“Vemos nele [Portugal 20/20] uma janela de oportunidade em diversos domínios, que procuraremos aproveitar da melhor forma, candidatando projetos em diversas áreas tendo sempre em vista, de forma direta ou indireta, a prossecução dos objetivos, espírito e missão da instituição”, afirmou.

Eleito para o segundo mandato consecutivo à frente da Santa Casa da Misericórdia do Fundão (SCMF), este responsável apontou como projetos a candidatar a remodelação do Lar da Misericórdia e a requalificação das Casas do Bairro de Santa Isabel, que deverão ser transformadas em “residências assistidas”.

No âmbito do turismo, a SCMF pretende levar a cabo a requalificação da Estalagem da Neve, unidade hoteleira que é propriedade desta instituição e que, durante anos, esteve concessionada a privados.

“Queremos devolver ao Fundão um empreendimento hoteleiro de elevada qualidade que possa constituir uma oferta turística diferenciada que conjugue alojamento e restauração de qualidade com arte e cultura”, afirmou Jorge Gaspar.

Já na área da educação, a instituição deverá apresentar uma candidatura para a ampliação da Academia de Música e Dança do Fundão, que tem atualmente 600 alunos.

Jorge Gaspar prometeu ainda que ao longo dos próximos quatro anos continuará a trabalhar para aumentar a qualidade da resposta social de todas as valências da SCMF, bem como para conseguir a sustentabilidade financeira da instituição, ponto que aliás colocou no “topo das prioridades”.

“Atingimos equilíbrio operacional, mas falta algum caminho para atingirmos o equilíbrio financeiro”, disse, referindo que no anterior mandato se passou de um passivo de quase meio milhão de euros para resultados operacionais positivos de cerca de 200 mil euros.

Misericórdia do Fundão

Durante a cerimónia – na qual marcaram presença, entre outros, o presidente da Câmara do Fundão e o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar da Cova da Beira – o provedor também abordou a questão da devolução do Hospital do Fundão à SCMF, garantindo que tal não colide com o protocolo que tinha sido previamente assinado entre estas três entidades.

Prometeu ainda que no processo negocial procurará “capacitar o hospital com novas valências ou com o reforço das já existentes” e reiterou que o hospital continuará no Serviço Nacional de Saúde e que não haverá acréscimo de custos para a população.

A SCMF dá atualmente resposta a 1.800 utentes e conta com mais de 300 trabalhadores.

*Com Lusa

 

 

Comentar