Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Prémio António Alçada Baptista atribuído a escritor da Covilhã

José Lagiosa

O escritor covilhanense e antigo jornalista João Morgado foi hoje distinguido com o Prémio António Alçada Baptista, atribuído pela primeira vez pela Câmara Municipal da Covilhã.

Com o título “Gama: O Herói Imperfeito”, a obra vencedora é um romance histórico inspirado em Vasco da Gama, que será agora editado.

Na cerimónia de atribuição do prémio, que se realizou no dia em que o escritor António Alçada Baptista completaria 88 anos, Cristina Vieira, membro do júri, referiu que a escolha foi feita sem que se soubesse que por detrás do pseudónimo estava “o reconhecido escritor covilhanense João Morgado”, circunstância que, segundo considerou, “provavelmente agradaria ao conterrâneo e companheiro de lides literárias, António Alçada Baptista”.

Docente de literatura na Universidade da Beira Interior, Cristina Vieira destacou que “valeu a pena ler a obra” e sublinhou a “qualidade da escrita que deleita”.

“É uma obra que demonstra ser ora divertida, ora poética, ora direta nas questões que levanta”, referiu.

O vencedor, João Morgado, mostrou-se agradado por receber o galardão com o nome de um escritor que sempre admirou e considerou “uma referência literária”.

Autor de obras como “o Diário Dos Infiéis” e “Diário dos Imperfeitos”, lembrou o episódio que chegou a entregar alguns contos da sua autoria a António Alçada Batista, que mais tarde o receberia num encontro durante o qual lhe contou variadas histórias, sem que lhe apresentasse a tão desejada análise dos contos.

“No final disse-me: para que é que tu queres saber a minha opinião. As coisas publicam-se, uns gostam outros não gostam. É assim com toda a gente'”, recordou o vencedor, assumindo que se tivesse percebido logo todo o sentido daquelas palavras, talvez tivesse começado a publicar mais cedo.

Os elementos do júri também decidiram atribuir uma Menção Honrosa (não prevista) ao romance “Dois descarrilamentos e um olho de vidro” de Alexandre Dale.

premio_literario_antonio_alcada_baptista_2014

O prémio António Alçada Baptista foi atribuído este ano pela primeira vez pelo Município da Covilhã, que desta forma “presta um modesto reconhecimento a um cidadão que, por atos e criações, deixa o seu nome marcado na história de Portugal”, afirmou Vítor Pereira (PS), presidente da autarquia.

A atribuição deste galardão pressupõe a edição da obra vencedora, numa tiragem de 500 exemplares e a entrega de um valor monetário de 1.500 euros.

A concurso foram apresentadas 18 obras, cinco das quais excluídas por não cumprirem as regras estipuladas.

O júri do prémio foi constituído pelo presidente da Câmara Municipal da Covilhã, pelo escritor Manuel da Silva Ramos, pela professora universitária Cristina Vieira e pela escritora Margarida Fonseca.

O vencedor, João Morgado, nascido em 1965, é natural da Vila do Carvalho, concelho da Covilhã, distrito de Castelo Branco. Formado em Comunicação pela Universidade da Beira Interior e com mestrado em Estudos Europeus pela Universidade de Salamanca em Espanha, foi jornalista em jornais regionais e correspondente diário “O Público” e do semanário “Sol.

Atualmente é consultor de comunicação e chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal de Belmonte.

Na literatura além dos romances já mencionados também tem vários contos publicados e, em 2012, foi galardoado com prémio Vergílio Ferreira, atribuído pela Câmara de Gouveia.

*Com Lusa

 

Comentar