Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Novembro 14, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Centro de Recursos da Memória e da Música nasce em Idanha-a-Nova

Centro de Recursos da Memória e da Música nasce em Idanha-a-Nova
José Lagiosa

A Câmara e a Filarmónica Idanhense anunciaram hoje a criação de um Centro de Recursos da Memória e da Música (CRMM) e uma universidade na área da música, que vai arrancar no mês de maio.

“Estes são dois projetos que apresentamos no âmbito do Programa de Desenvolvimento Cultural, Educacional e Social (Culturin) que vão ser desenvolvidos com as associações do concelho [Idanha-a-Nova]”, disse o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, numa conferência de imprensa, explicando que o dever político do município “é pensar a médio e longo prazo” o concelho e a região.

O Centro de Recursos da Memória e da Música (CRMM) vai criar um arquivo permanente e uma plataforma digital de conteúdos, cujo objetivo passa pelo desenvolvimento, promoção e divulgação de toda a musicalidade e tradições do concelho de Idanha-a-Nova.

O diretor artístico da Filarmónica Idanhense, João Abrantes, explicou que no caso da musicalidade, apesar de já existir alguma recolha, falta ainda percorrer um longo caminho, sendo “um trabalho para mais de 10 anos”.

“Este trabalho [CRMM], que foi iniciado em 2010, só hoje é apresentado porque temos plena consciência de que um trabalho desta envergadura e com esta dimensão precisa de bases sólidas e consistentes para que possa ser apresentado como um projeto diferenciador em todo o país”, disse, lembrando que este “trabalho titânico” remonta a 2010.

João Abrantes adiantou que este é o momento certo para a divulgação do projeto, que classificou como “um dos pilares de referência na preservação e promoção da cultura, memória, tradição e musicalidade” de Idanha-a-Nova.

O CRMM vai abordar duas áreas distintas: a musicalidade e a tradição. Os grupos e associações culturais do concelho são também parceiros ativos do projeto e têm efetuado ao longo dos anos recolhas, cujos conteúdos em vídeo, áudio e imagem são posteriormente tratados.

Após a recolha e o tratamento, vão ser depositados em arquivo físico e alojados numa plataforma de conteúdos musicais e tradicionais que foi criada para o efeito.

“Temos assim uma ferramenta de importância excecional para a promoção da nossa cultura, tradição e principalmente da nossa musicalidade que será promovida junto de musicólogos, investigadores e junto da população em geral”, referiu João Abrantes.

O arquivo físico do CRMM vai dividir-se entre o Arquivo Municipal de Idanha-a-Nova e a sede da Incubadora de Indústrias Criativas de Idanha-a-Velha e irá incluir todos os conteúdos em vídeo, áudio e imagem.

A integração dos conteúdos, exceto vídeo e fotografia, será também feita na página do CRMM na Internet e irá incluir áudio e texto das músicas, resenha histórica e documentos de notação musical.

O projeto inclui ainda, a partir de julho de 2015 até dezembro de 2016, um ciclo de música tradicional, com a realização de espetáculos musicais trimestrais, num total de 102 eventos nas 17 freguesias do concelho de Idanha-a-Nova.

A universidade sénior de Idanha-a-Nova (USIN) tem como mote principal a música, mas que “não esquecerá as restantes áreas de aprendizagem”, concluiu João Abrantes.

O objetivo da USIN, que pode ser frequentada por pessoas com mais de 50 anos, é dar prioridade à divulgação cultural.

Esta estrutura vai estender-se às 17 freguesias do concelho e conta com a colaboração do município, filarmónica, juntas de freguesia, Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento (CMCD) e todos os grupos culturais de Idanha-a-Nova.

*Com Lusa

 

 

Comentar