Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 31, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Coimbra recebe exposição de 16 artistas para realçar o papel da mulher nas artes

José Lagiosa

A Câmara de Coimbra e a Mercearia de Arte apresentam a 14 de fevereiro uma exposição coletiva com 16 artistas portuguesas, que procura realçar o papel da mulher nas artes visuais.

A exposição “Olhares de Mulheres”, que vai estar presente na Casa Municipal da Cultura até 18 de março, junta “artistas consagradas e nomes novos”, num total de cerca de 30 obras de pintura, fotografia, escultura, ilustração e instalação, contou Pedro Alves, da galeria Mercearia de Arte.

Apesar de nem todas as obras terem uma visão sobre a questão de género, muitas surgem com “um olhar crítico e reflexivo sobre a temática”, contou a curadora da exposição, Genoveva Oliveira, apontando para os casos de Andrea Inocêncio, “que tem um longo trabalho sobre questões de género e sobre a identidade da mulher portuguesa”, e de Débora Esperança, com “um trabalho em que destaca a violência de género”.

“É necessário resgatar uma importância sempre imensa do trabalho feminino” na arte, sublinhou, referindo que “um grande número das mulheres artistas não se conseguem afirmar e muitas vezes não têm voz”.

A exposição, ao ser apenas de mulheres artistas, “é uma mensagem crítica para aquilo que se continua a passar”, disse à agência Lusa Genoveva Oliveira.

Andrea Inocêncio, Ana Pais Oliveira, Cláudia Lopes, Débora Esperança, Helena Dias, Inês Norton, Mariana, a Miserável, Mariana Sampaio, Mariana de Castro, Patrícia Geraldes, Raquel Costa, Renata Carneiro, Sandra Ferreira, Susana Aleixo Lopes, Tamara Alves e Tatiana Santos são as artistas que vão estar presentes na exposição.

A exposição está inserida no projeto SHE/ELA, coordenado por Genoveva Oliveira, tendo surgido pela “necessidade de se refletir sobre as questões género relacionando-as com o mundo da arte” e de realçar o papel da mulher na criação artística, bem como na crítica e na curadoria, afirmou.

O projeto conta com mais de 10 eventos, entre exposições e debates, que vão decorrer entre fevereiro e abril, em diferentes cidades portuguesas, como Lisboa, Castelo Branco, Guarda ou Leiria, estando também presente em Luanda e em Nova Iorque.

*Com Lusa

 

Comentar