Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 19, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Idanha-a-Nova como Cidade da Música UNESCO será prémio para as pessoas

Idanha-a-Nova como Cidade da Música UNESCO será prémio para as pessoas
José Lagiosa

O presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, disse hoje que a candidatura a Cidade da Música no âmbito da rede de Cidades Criativas da UNESCO “foi feita com as pessoas e para as pessoas”.

“Este projeto é das gentes de Idanha-a-Nova, pensado e delineado por nós. Fazemos tudo isto [candidatura] com as pessoas e para as pessoas”, referiu o autarca.

Armindo Jacinto falava durante a sessão de abertura do Encontro Internacional “As Cidades Criativas e a Música”, que decorre em Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, no âmbito da candidatura da vila a Cidade da Música da rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

“A nossa candidatura faz todo o sentido porque a música é um lugar sem tempo. A nossa alma ainda hoje se traduz no adufe e na transmissão dos saberes e das culturas”, adiantou.

O autarca realçou ainda que a música é a temática principal de toda a atividade cultural do concelho.

“Idanha-a-Nova tem esta ambição de trabalhar a música. Ao vasto património e à herança cultural apostamos na qualidade, na inovação e no empreendedorismo”, disse.

Armindo Jacinto sustentou que a importância histórica e cultural que Idanha-a-Nova possui é, por si só, suficiente para se candidatar à rede de Cidades Criativas da UNESCO no âmbito da música: “Temos património para isso”, sustentou.

O autarca sublinhou ainda que a cultura musical faz parte do património cultural de Idanha-a-Nova desde sempre e, atualmente, mantém-se ao longo de todo o ano.

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, recordou que na rede de Cidades Criativas da UNESCO ainda não consta nenhuma cidade portuguesa.

“Esperemos que Idanha-a-Nova receba em breve boas notícias e que a sua candidatura [a Cidade da Música] seja coroada de êxito”, adiantou.

Esta responsável realçou ainda a capacidade de Idanha-a-Nova, um território de baixa densidade, de “não desistir e de se reinventar”.

Adufe

Adufes

 

“Era mais fácil baixar os braços”, disse.

O adufe, o maior representante da riqueza e da tradição musical de Idanha-a-Nova, inspirou o símbolo desta candidatura portuguesa a Cidade da Música da UNESCO.

Atualmente, existem 41 cidades pertencentes à Rede de Cidades Criativas, em todo o mundo, e apenas seis no tema da Música.

O objetivo é promover o desenvolvimento social, económico e cultural destas cidades e comunidades, tendo por base as indústrias criativas.

*Com Lusa

 

Comentar