Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Agroop é a primeira ‘start-up’ portuguesa na plataforma de ‘crowdfunding’ Seedrs

Agroop é a primeira ‘start-up’ portuguesa na plataforma de ‘crowdfunding’ Seedrs
José Lagiosa

A Agroop, empresa tecnológica para o setor agrícola, é a primeira ‘startup’ portuguesa a lançar uma campanha de ‘equity crowdfunding’ na maior plataforma europeia para este tipo financiamento colaborativo, a luso-britânica Seedrs.

O presidente executivo da Agroop, Bruno Fonseca, disse à Lusa que a campanha foi lançada há dois dias, com uma duração de 60 dias, e já angariou 10.890 euros, dos 75 mil euros que pretende obter, em troca de 5% da sua quota.

O objetivo da campanha é acelerar o processo de desenvolvimento do primeiro produto, a Agroop Operacional, que será uma multiplataforma ‘web-based’ (‘smartphone’, ‘tablet’ e ‘pc’) que vai ligar os produtores às suas associações, permitindo-lhes comunicar dados em tempo real, solicitar assistência remota, receber alertas climatéricos e de sanidade, quantificar os seus custos e até gerir recursos humanos.

A Agroop quer apoiar estes agentes ao longo da sua atividade e dar-lhes a possibilidade de serem mais competitivos perante um paradigma agroalimentar muito exigente, frisa a ‘start-up’.

“Já atingimos os 10.890 euros, o que é um bom indicador. Lembrámo-nos da Seeders por ser uma plataforma de ‘equity crowdfunding’ bastante credível e para ganharmos visibilidade e dar um impulso ao desenvolvimento da aplicação e à nossa parceria com a Noruega, Suécia e Brasil”, disse Bruno Fonseca.

Licenciado em ‘design’ gráfico, Bruno Fonseca lembrou que a ideia para o desenvolvimento da aplicação surgiu quando há cerca de um ano e meio, depois desenvolver um projeto para um agricultor em Castelo Branco, se apercebeu de que não existia “nenhuma plataforma intuitiva e em português” que ajudasse a gerir recursos e processos agrícolas.

Agora, esta campanha da Agroop representa a primeira operação da Seerds envolvendo uma empresa de capital português, “abrindo assim uma grande janela de oportunidade para muitas outras empresas que queriam obter financiamento de milhares de potenciais investidores, nacionais e internacionais”, como explica o fundador e presidente da Seedrs, Carlos Silva, num comunicado da empresa.

O documento lembra ainda que, recentemente, os empreendedores portugueses criadores da Coacher, aplicação lançada no Reino Unido e dirigida a treinadores de futebol, já tinham sido bem-sucedidos na angariação de capital através da Seerds.

A Seedrs, fundada também por empreendedores portugueses, angariou capital em 2014 para mais de 100 empresas de vários países, incluindo Reino Unido, França, Espanha, República Checa e Suíça.

A plataforma está aberta a investidores e empresas na Europa, sendo que aceita campanhas e investimento em euros e libras e foi a primeira plataforma a nível mundial a ter a sua atividade autorizada e regulada, especificamente pela Financial Conduct Authority no Reino Unido.

*Com Lusa

 

 

Comentar