Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Câmara do Fundão quer “agenda comum” em torno das Minas da Panasqueira

Câmara do Fundão quer “agenda comum” em torno das Minas da Panasqueira
José Lagiosa

O presidente da Câmara do Fundão, Paulo Fernandes, disse hoje que considera muito importante a aposta numa “agenda comum” que contribua para ajudar a superar as dificuldades nas Minas da Panasqueira.

“Estamos muito preocupados e, naturalmente, disponíveis para unir esforços com os concelhos que seriam mais diretamente afetados [com uma eventual suspensão]. Acho muito importante que nos unamos numa agenda comum que contribua para encontrar uma solução para este problema que é gravíssimo e que pode ter consequências brutais”, referiu.

Na quinta-feira, a administração das Minas da Panasqueira disse que a empresa está a passar dificuldades e admitiu que a atividade pode ser suspensa, se a situação não se alterar.

“O mercado é muito atípico e tem de ser acompanhado diariamente, mas se nada mudar seremos obrigados a tomar decisões que serão más para toda a gente. Teríamos de parar toda a produção”, afirmou Alfredo Franco, presidente do conselho de administração da Sojitz Beralt Tin and Wolfram Portugal, que detém a exploração daquela exploração de volfrâmio.

Este responsável explicou que a situação se prende com as constantes quedas do preço do volfrâmio, que têm provocado “perdas incomportáveis”.

O presidente da Câmara do Fundão adiantou hoje à agência Lusa que, além dos contactos com os outros autarcas, já está a realizar diligências no sentido de “sensibilizar” o Governo para a “dimensão do problema” e especificou que deu conta das respetivas preocupações ao ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energias e ao secretário de estado do Ambiente, que tutelam o setor e que, este fim de semana, estiveram no distrito.

“Pedi-lhes o acompanhamento deste processo para que possamos encontrar formas de dar a volta a esta crise, que pode ter repercussões absolutamente nefastas e desastrosas principalmente para a zona do Pinhal”, apontou.

A Câmara da Covilhã, concelho em que estão localizadas as Minas da Panasqueira, também deu conta que enviou imediatamente um pedido de reunião com caráter de urgência aos ministérios do Ambiente e da Economia, deixando ainda um apelo público para a união de esforços e intervenção de todos os responsáveis políticos, designadamente do primeiro-ministro.

À margem de uma visita realizada no sábado ao concelho do Fundão, o secretário de Estado do Ambiente garantiu que o Governo irá acompanhar a situação e prometeu que tudo será feito para que esse “investimento continue”.

As Minas da Panasqueira são a única exploração de extração de volfrâmio a laborar em Portugal e emprega 339 pessoas, essencialmente dos concelhos da Covilhã e Fundão, no distrito de Castelo Branco, e Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra.

*Com Lusa

 

Comentar