Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Fevereiro 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cerca de 30 apoiantes em vigília noturna junto à cadeia de Évora

José Lagiosa

Cerca de 30 pessoas, oriundas de vários pontos do país, iniciaram esta noite uma vigília solidária de apoio a José Sócrates junto à cadeia de Évora, onde o antigo primeiro-ministro socialista está em prisão preventiva.

Empunhando cravos e gritando “José Sócrates sempre”, os apoiantes do ex-primeiro-ministro concentraram-se cerca das 19:00 junto ao Estabelecimento Prisional de Évora para uma “noite solidária” que, asseguram, se prolongará ao longo de 14 horas, até às 09:00 de domingo.

“Sócrates amigo, o povo está contigo”, “Sócrates amigo, estamos aqui contigo” e “presos políticos nunca mais” foram outras das frases entoadas pelos apoiantes do ex-primeiro-ministro, que se deslocaram de localidades como Vila do Conde, Porto, Braga, Covilhã, Leiria, Lisboa e Mafra.

Durante a vigília noturna, organizada por um grupo de pessoas através das redes sociais, os apoiantes preveem acender velas e tochas, assim como dar a volta ao estabelecimento prisional, conforme adiantou à agência Lusa Luísa Lopes, uma das promotoras.

Segundo Luísa Lopes, a “noite solidária” pretende “demonstrar amizade e solidariedade” para com o antigo chefe de governo, cuja prisão preventiva considerou “injusta”.

O empresário José António Pinho, promotor de uma excursão de apoiantes da Covilhã, que se concentraram, a 25 de janeiro, junto à cadeia de Évora, é outro dos organizadores da vigília, voltando a considerar que a prisão preventiva de José Sócrates é “um ato político”.

“Num Estado democrático, José Sócrates não pode estar preso”, argumentou o apoiante, dizendo que o ex-primeiro-ministro “está preso sem culpa formada”.

Junto à prisão de Évora, onde decorre a vigília, encontravam-se também, ao início da noite, vários agentes da PSP.

José Sócrates está em prisão preventiva, desde o dia 25 de novembro do ano passado, indiciado por corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais, num processo que tem também como arguidos João Perna, o empresário Carlos Santos Silva, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o administrador da farmacêutica Octapharma, Paulo Lalanda Castro.

*Com Lusa

 

 

Comentar