Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Segurança: Ocorrências nas escolas subiram, a maior parte é de natureza criminal

Segurança: Ocorrências nas escolas subiram, a maior parte é de natureza criminal
José Lagiosa

As forças de segurança registaram no ano letivo 2013/14 um total de 6.693 ocorrências no âmbito do Programa Escola Segura, um aumento de 5,4% relativamente ao ano anterior, segundo o Relatório de Segurança Interna.

Os dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), hoje entregue no parlamento, indicam que a maior parte (4.854, ou 72,5%) das ocorrências em contexto escolar são de natureza criminal, uma área onde o aumento em relação ao ano letivo 2012/2013 se situou nos 8,1%.

A maioria das ocorrências registadas pela GNR e PSP no âmbito do Programa Escola Segura aconteceram no interior das escolas (3.324), ums subida de 10,8% relativamente ao ano letivo 2012/2013.

Segundo o RASI, uma boa parte das ocorrências de natureza criminal são ofensas corporais (1.665), seguindo-se os furtos (1.220), as injúrias (669) e os roubos (287).

Foram ainda registados 256 casos de vandalismo/dano, 142 ofensas sexuais, 119 casos de posse/consumo de droga, 72 de posse/uso de arma e 22 ameaças de bomba.

Quanto à dispersão das ocorrências pelo território nacional, quase metade (2.880) foram registadas no distrito de Lisboa, seguindo-se o Porto (1.171), Setúbal (546), Faro (339), Braga (249), Aveiro (223), Leiria (168), Santarém (162), Coimbra (137), Madeira (128) e Viana do Castelo (115).

Abaixo das 100 ocorrências registadas no âmbito do Programa Escola Segura estão os Açores e Bragança (ambos com 93), Guarda (82), Évora (71), Viseu (68), Vila Real (56), Portalegre e Castelo Branco (40) e Beja (32).

De acordo com o RASI, que apresenta os principais resultados da criminalidade e atividade das forças e serviços de segurança, a criminalidade geral desceu 5,4% em 2014, ano em que se registaram 19.061 casos de criminalidade violenta e grave, menos 1.086 do que em 2013.

*Com Lusa

 

Comentar