Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Novembro 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cerfundão eleva fasquia e quer chegar às 900 toneladas de cereja em 2015

José Lagiosa

A Cerfundão, empresa de embalamento e comercialização de cereja sediada no Fundão, espera receber este ano cerca de 900 toneladas daquele fruto, o que representa quase o dobro em relação a 2014.

“Tal como no ano passado, voltámos a elevar a fasquia e queremos passar de cerca de 600 toneladas para mais de 900”, disse em declarações à agência Lusa José Pinto Castello Branco, o presidente desta empresa que tem capital privado, municipal e associativo.

Segundo apontou, esta empresa está a concretizar um processo de modernização e ampliação que implica um investimento global de dois milhões de euros, a dois anos.

O objetivo é consolidar a estratégia de desenvolvimento e as previsões para 2015 só não estão fixadas no “número mágico” das mil toneladas devido aos imponderáveis das condições climatéricas, que já levaram a quebra de produção nas variedades mais precoces, a sul da Gardunha.

Segundo José Pinto Castello Branco, chegar às 900 toneladas já será “um resultado extremamente positivo”, para o qual também deverá contribuir a política de pagamento à semana, iniciada em 2014.

Assim, do preço que for fixado por calibre, a empresa pagará ao fim de cada semana um valor fixo por quilograma (um euro até 01 de junho e 0,70 cêntimos a partir daí), fazendo face ao remanescente no final da campanha.

Entre as vantagens apresentadas aos produtores, aquele responsável acrescenta a questão da poupança em termos de logística de embalamento e de transporte (calibradores, caixas, mão de obra, portagens e combustíveis, etc.), bem como a possibilidade de escoar a fruta de calibres menores, que até aqui não tinha aproveitamento e que agora deverá ser canalizada para a indústria.

Já a cereja de calibres mais apetecíveis tem venda garantida, até porque a Cerfundão tem registado um crescimento no número de clientes, que também procuram este fruto cada vez melhor.

Qualidade que é reconhecida pelos apreciadores do fruto e que tem contribuído para dinamizar o setor nesta região, considerada uma das maiores zonas de produção de cereja no país.

Segundo as estimativas, a Cova da Beira tem mais de dois mil hectares de cerejal (cerca de 75% dos quais no concelho do Fundão) e produzirá em média seis mil toneladas de cereja por ano.

*Com Lusa

 

Comentar