Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Dezembro 12, 2017

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Assembleia de Castelo Branco chumba preço da água igual para juntas e câmara

Assembleia de Castelo Branco chumba preço da água igual para juntas e câmara
José Lagiosa

A Assembleia Municipal de Castelo Branco chumbou hoje por maioria uma moção que propunha que o preço da água cobrado às juntas de freguesia passasse a ser de um cêntimo por cada metro cúbico, valor semelhante ao pago pela câmara.

A moção apresentada pelos deputados do PSD e da CDU foi rejeitada por maioria, com os votos contra do PS.

Os subscritores do documento reclamaram “razões de equidade e de elementar justiça” para propor que as juntas de freguesia do concelho “passem a pagar aos Serviços Municipalizados [de Castelo Branco] a água que consomem exatamente ao mesmo valor que é debitado à autarquia, ou seja, um cêntimo por cada metro cúbico”.

“O PS está contra esta proposta por uma razão: não vai alimentar a demagogia do PSD, que tira coelhos da cartola e tenta criar mal-estar entre a câmara e as juntas de freguesia. É uma proposta demagógica e sem sentido. Nunca ouvi nenhum presidente de junta reclamar relativamente ao custo da água e à forma como é faturada”, afirmou o deputado Leopoldo Rodrigues, do PS.

O presidente do município classificou também a proposta como “a mais pura demagogia” e adiantou que a personalidade jurídica da câmara municipal é diferente das juntas de freguesia.

“Nós temos uma política conjunta entre a câmara e as juntas de freguesia e não medimos o que cada uma deve pagar. Se o fizéssemos, as juntas seriam prejudicadas”, afirmou Luís Correia.

O autarca reforçou a ideia de que o objetivo da proposta “é fazer demagogia e colocar as juntas de freguesia contra a câmara. Isso é um pensamento muito perigoso”, concluiu.

Para o deputado da CDU João Pedro Delgado, esta proposta “tem todo o sentido e é de elementar justiça”, posição que foi corroborada pelo CDS/PP, que pela voz de António Figueiredo Santos apoiou a moção, “porque representa equidade”.

O deputado do PSD António Carmona Mendes explicou que o partido avançou com a moção “porque a fatura da água é uma das coisas que mais pesa nas contas das juntas de freguesia”.

*Com Lusa

 

Comentar