Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Habitantes de Manteigas exigem solução para estrada na ligação aos Piornos

Habitantes de Manteigas exigem solução para estrada na ligação aos Piornos
José Lagiosa

Cerca de 150 habitantes e autarcas de Manteigas manifestaram-se hoje, na cidade da Guarda, contra as obras de beneficiação da estrada Manteigas-Piornos, na Serra da Estrela, e exigiram uma solução para o problema.

A ER 338, que faz a ligação entre Piornos e Manteigas, está em obras desde o dia 27 de maio, mas a intervenção não agrada aos habitantes, que contestam o facto de a via estar cortada à circulação automóvel durante a realização dos trabalhos.

Hoje, entre as 15:00 e as 16:30, por iniciativa da comissão de munícipes indignados de Manteigas, decorreu uma manifestação na cidade da Guarda, no centro da cidade e junto das instalações da Gestão Regional da empresa Infraestruturas de Portugal (IP), na Guarda-Gare.

Luís Melo, porta-voz do movimento, entregou uma carta aberta dirigida ao presidente do Conselho de Administração da IP, na qual é explicada a situação, é manifestado o descontentamento e é solicitada “uma solução para o problema da [ER] 338”.

“Ou o alargamento, que é aquilo que em primeiro lugar desejamos e que é aquilo que nos foi prometido e é aquilo que deveria ser feito, ou em última análise, se isso não for possível, uma solução alternativa é com uma via ascendente e outra com uma via descendente”, enquanto decorrem as obras, explicou aos jornalistas.

Na missiva, a que a agência Lusa teve acesso, os habitantes exigem “ser servidos por uma estrada condigna e com perfil que permita uma fluidez de trânsito de pesados e ligeiros sem constrangimentos e com todas as condições de segurança”.

A população espera que a reivindicação seja satisfeita pois, caso contrário, o descontentamento não ficará por aqui.

“Estamos a equacionar dirigir-nos ao parlamento e fazer uma manifestação também em Lisboa. Esperemos que não seja preciso, mas se for preciso lá iremos”, disse Luís Melo.

O vice-presidente da autarquia de Manteigas, José Cardoso, também presente no protesto, indicou que deu entrada na sexta-feira, no Tribunal Administrativo e Fiscal de Castelo Branco, uma providência cautelar para “cessar o andamento” das obras.

Durante o protesto, os manifestantes exibiram cartazes com mensagens como “Desviados do mundo”, “Façam um projeto decente na EN 338. Poupem dinheiro” e “Estão a matar-nos”.

Também gritaram as palavras de ordem “Manteigas diz não a esta solução” e “Remendos não, soluções sim”.

A IP considerou, em nota divulgada no início deste mês, que o alargamento da plataforma da ER 338, que liga Piornos a Manteigas, é “ambientalmente inadequado e financeiramente insustentável”.

“Trata-se de uma estrada de montanha que se desenvolve ao longo do vale glaciar, onde se torna muito difícil, ambientalmente inadequado e financeiramente insustentável, qualquer cenário de alargamento da plataforma, face ao terreno acidentado e ao cenário geológico de elevada instabilidade que é atravessado”, referiu a EP em comunicado enviado à Lusa.

*Com Lusa

 

Comentar