Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 28, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Médio Tejo candidatou projetos no valor de 72 ME a fundos comunitários

Médio Tejo candidatou projetos no valor de 72 ME a fundos comunitários
José Lagiosa

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) anunciou hoje ter candidatado projetos no valor de 72 milhões de euros no âmbito dos investimentos territoriais integrados (ITI) para o próximo quadro comunitário de apoio.

O montante global da proposta de ITI apresentada ao Portugal 2020 pela CIMT, que agrega 13 municípios do distrito de Santarém, é de cerca de 72 milhões de euros, dos quais cerca de 50 milhões correspondem a projetos intermunicipais e os outros 22 milhões correspondem a investimentos em infraestruturas de educação, património cultural, saúde e sociais, alguns da responsabilidade da Administração Central.

Os investimentos apresentados em candidatura enquadram-se dentro das áreas de intervenção mobilizáveis pelo instrumento financeiro ITI, tais como a modernização administrativa, a eficiência energética, a prevenção e gestão de riscos, a educação, a inclusão social e melhoria do acesso a serviços sociais e de saúde, a valorização do património e promoção turística, e o apoio ao empreendedorismo.

No documento pode ler-se que a construção do programa de ação do ITI do Médio Tejo “assentou na estruturação de projetos de escala supramunicipal, com o envolvimento de parceiros locais/regionais relevantes no contexto dos grupos de trabalho setoriais” estabelecidos no modelo de governação da Estratégia 2020 do Médio Tejo.

Com uma população na ordem dos 250 mil habitantes, a CIMT é composta pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

*Com Lusa

Comentar