Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 9, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Abre hoje em Lisboa o 1.º Congresso do Bombo

Abre hoje em Lisboa o 1.º Congresso do Bombo
José Lagiosa

O 1.º Congresso do Bombo abre hoje, na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa, prosseguindo no domingo, estando previsto comunicações de etnomusicólogos, músicos e a participação de grupos tradicionais de bombos e orquestras de percussão.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a associação Tocá Rufar, que organiza o encontro, afirma que este tem por objetivo “ser um evento pioneiro no debate e reflexão da percussão tradicional em geral, e do bombo em particular, enquanto elemento identitário único da cultura portuguesa”.

Os “dois dias do 1.º Congresso do Bombo contarão com momentos de discussão sobre a dimensão educativa, económica e cultural, assim como ‘workshops’, espaços expositivos de construtores de instrumentos e momentos musicais”.

“Pretende-se que [o Congresso] seja um espaço aberto à discussão e um convite dirigido a todos os interessados, sendo de salientar que o Congresso está acreditado no âmbito da formação contínua de professores pelo Centro de Formação da Associação de Escolas do Seixal, na modalidade de curso de formação com o total de 12 horas”, segundo a mesma fonte.

Entre as atuações, a Tocá Rufar destaca, no domingo de manhã, as dos grupos Os Unidos da Paródia, de Amarante, Gigabombos, de Évora, Grupo de Bombos de Lavacolhos, do Fundão, TradiBombos e Ecos do Monfurado, de Montemor-o-Novo, Bardoada Grupo do Sarrafo, de Pinhal Novo, Grupo de Percussão Sempre’a Bombar e Rufus & Circus, de Santa Maria da Feira, Tocándar, da Marinha Grande, Batucando, do Montijo, Bungaritmo, de Cascais, e o da associação TocáRufar, do Seixal.

A comissão científica do Congresso é constituída por Domingos Morais, Augusto Mateus e Rui Vieira Nery, e contará ainda com a participação de “reconhecidos agentes em diversas áreas culturais a nível nacional”, designadamente o grupo Galandum Galundaina, de Miranda do Douro, Manuel Rocha, do conservatório de Coimbra, Pedro Mestre, músico, João Brites, encenador, e Madalena Vitorino, dinamizadora cultural.

A abertura das portas está prevista para as 09:00 de hoje, logo seguida de uma alvorada de bombo, antes dos discursos da praxe, seguindo-se os diferentes painéis científicos e de debate.

*Com Lusa

Comentar