Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Julho 12, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Fundão aposta na criação de centro de recolha e certificação de cogumelos

José Lagiosa

A freguesia do Alcaide, no concelho do Fundão, vai acolher, a partir do final do próximo verão, o Centro de Recolha de Cogumelos da Gardunha, que servirá de base de certificação e ponto de venda de cogumelos silvestres.

A iniciativa resulta de uma parceria entre a Junta de Freguesia do Alcaide e a Câmara Municipal do Fundão, tendo o protocolo de colaboração sido assinado no âmbito da sétima edição do Míscaros – Festival do Cogumelo.

Este centro ficará instalado na cantina da escola primária da freguesia e o objetivo é que esteja a funcionar no final do próximo verão.

“Passamos a ter um espaço onde as pessoas podem levar os cogumelos que apanham no campo para que estes sejam analisados e para que se possa verificar a sua qualidade e se são comestíveis. Além disso, também deverá funcionar como um pequeno entreposto de recolha e venda daquele produto”, explicou à agência Lusa o presidente da autarquia fundanense, Paulo Fernandes.

O autarca destacou igualmente a importância desta aposta na dinamização de uma economia que tem vindo a afirmar-se na região.

Segundo referiu, só na Serra da Gardunha estão identificadas mais de 100 variedades de cogumelos comestíveis e, em toda a Beira Interior, a apanha e comercialização de cogumelos silvestres representará cerca de 10 milhões de euros.

“É um património imenso que tem um valor muito grande e que poderá ainda crescer no futuro”, sublinhou.

Lembrando a necessidade de se criar um quadro legislativo que regule o setor, o autarca também realçou o contributo que o Centro de Recolha de Cogumelos da Gardunha poderá ter para a organização do mesmo.

O facto de o mesmo ser criado num edifício público e em articulação com o que já existe – a escola está aberta e só a sua cantina é que tinha sido desativada – foi outro dos aspetos sublinhados por Paulo Fernandes, que classificou esta “refuncionalização” como um “sinal de eficiência e inteligência”.

“Hoje em dia, o mais importante não é a construção de novos edifícios, mas sim os projetos que são criados e que se associam a cada espaço”, fundamentou.

O investimento total previsto é de 43 mil euros e será realizada uma candidatura ao Portugal 2020.

O Míscaros – Festival do Cogumelo, que é organizado pela Liga de Amigos do Alcaide em parceria com a junta e a câmara, realizou-se entre os dias 11 e 15 de novembro.

De acordo com Paulo Fernandes, esta foi a “maior e melhor edição de sempre”, tendo recebido pelo menos 30 mil visitantes e representado um impacto global de cerca de 500 mil euros na economia local.

*Com Lusa

Comentar