Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 8, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Ministro diz que situação política é “tão tóxica como cogumelo venenoso”

Ministro diz que situação política é “tão tóxica como cogumelo venenoso”
José Lagiosa

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Carlos Costa Neves, afirmou hoje, no Fundão, que a situação política do país “é tão tóxica como um cogumelo venenoso”.

“Nós estamos onde estamos, e onde estamos é em Alcaide e neste festival [do cogumelo], e eu não posso deixar de me sentir tentado a associar a atual situação política à correlativa toxicidade dos cogumelos venenosos. Há uma clara ligação entre as duas coisas. A situação política é tão tóxica, hoje, como um cogumelo venenoso, e os senhores sabem aqui, melhor do que eu, o que um cogumelo venenoso pode provocar”, disse.

Costa Neves falava na cerimónia pública que marcou a abertura simbólica da sétima edição do Míscaros – Festival do Cogumelo, que se realiza até domingo, na localidade de Alcaide, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Na intervenção, Costa Neves, que nas últimas duas legislaturas foi deputado à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Castelo Branco, aproveitou para explicar aos presentes o que pensa sobre a situação política atual, começando por referir que a principal “novidade” que tinha para transmitir era o facto de ainda ser ministro e de continuar a existir um Governo em Portugal.

“O poder não cairá na rua e este Governo só deixará de exercer funções no momento em que, eventualmente, outro Governo assuma essas funções”, acrescentou.

Durante a análise à referida situação política, o responsável pela pasta dos Assuntos Parlamentares também se referiu à coligação de esquerda, lembrando que o azeite e a água não se misturam: “Quando olho para uma certa coligação negativa que se formou, não posso deixar de pensar nesse exemplo e de achar que estamos perante azeite e água, que neste momento se pode misturar, mas que a curto prazo deixará de estar misturada”.

*Com Lusa

Comentar