Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Julho 21, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cavaco recorda “um dos maiores arquitetos portugueses do século XX”

Cavaco recorda “um dos maiores arquitetos portugueses do século XX”
José Lagiosa

O Presidente da República, Cavaco Silva, recordou hoje Nuno Teotónio Pereira como “um dos maiores arquitetos portugueses do século XX” e um “militante empenhado na defesa da liberdade, antes e depois do 25 de Abril de 1974”.

“Ao longo de uma carreira notável, várias vezes galardoado com os mais prestigiados prémios, Nuno Teotónio Pereira foi um dos maiores arquitetos portugueses do século XX, autor de edifícios emblemáticos que nos fascinam pela rigorosa beleza do seu traço”, destaca o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa mensagem de condolências à família divulgada no site da Presidência da República.

Nuno Teotónio Pereira, uma das mais destacadas figuras do urbanismo e da habitação em Portugal, morreu hoje em Lisboa aos 93 anos.

Cavaco Silva recordou ainda Nuno Teotónio Pereira como “um militante empenhado na defesa da liberdade, antes e depois do 25 de Abril de 1974”.

“Destacou-se como católico oposicionista e, mais tarde, como um defensor da independência dos povos africanos. Lutou toda a vida, com uma fé inabalável, contra todas as formas de opressão”, refere o chefe de Estado, acrescentando que o arquiteto “deu o melhor de si ao seu país e à causa dos direitos humanos em todo o mundo”.

Nascido em Lisboa, em 1922, Nuno Teotónio Pereira formou-se em arquitetura pela Escola de Belas Artes de Lisboa, foi autor e coautor de dezenas de projetos e também um histórico defensor de direitos cívicos e políticos durante o regime salazarista.

Em abril de 2015, Nuno Teotónio Pereira foi distinguido com o Prémio Universidade de Lisboa 2015, pelo exercício “brilhante” na área da arquitetura e como “figura ética”.

São da sua autoria – ou em coautoria com arquitetos como Nuno Portas, Bartolomeu Costa Cabral e João Braula Reis – o Bloco das Águas Livres, classificado em 2012 como monumento de interesse público, a Torre de Habitação Social nos Olivais Norte, o chamado Edifício “Franjinhas” e a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, projetos realizados em Lisboa, distinguidos com Prémios Valmor.

Teotónio Pereira foi um dos arquitetos pioneiros na área da habitação social, tendo projetado não só para a capital portuguesa, mas também para Braga, Castelo Branco, Póvoa de Santa Iria, Barcelos e Vila Nova de Famalicão, nos anos de 1950 a 1970.

Entre 1948 a 1972, foi consultor de Habitações Económicas na Federação das Caixas de Previdência, tendo realizado o primeiro concurso para habitações de renda controlada.

Foi galardoado com o 2.º Prémio Nacional de Arquitetura da Fundação Calouste Gulbenkian (1961), pelo Edifício das Águas Livres, e Prémios Valmor para a Torre de Habitação nos Olivais Norte (1967), Edifício Franjinhas (1971) e Igreja do Sagrado Coração de Jesus (1975).

*Com Lusa

 

Comentar