Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Junho 22, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

PS/Guarda acusa deputados do PSD de questionarem Governo para “mostrar serviço”

PS/Guarda acusa deputados do PSD de questionarem Governo para “mostrar serviço”
José Lagiosa

A Federação do PS da Guarda criticou hoje os deputados do PSD eleitos pelo distrito por terem questionado o Governo sobre portagens, tribunais, saúde e mudanças no centro de emprego, considerando que o fizeram para “mostrar serviço”.

“Os senhores deputados do PSD Carlos Peixoto e Ângela Guerra quiseram mostrar serviço e escolheram falar de portagens, encerramento de tribunais, saúde? Isto, três meses depois da substituição do Governo que apoiavam, é preciso ter lata!”, critica, em comunicado, a Federação Socialista da Guarda, presidida por José Albano Marques.

Na semana passada, os deputados Carlos Peixoto e Ângela Guerra questionaram o Governo, através da Assembleia da República, sobre se a intenção de reduzir os custos das portagens nas autoestradas da região.

Na área da Justiça, pretenderam saber, junto da ministra daquela pasta, “se os tribunais da Mêda e de Fornos de Algodres vão ser reabertos” e “para que finalidades em concreto” e qual a ideia relativamente ao Tribunal do Sabugal.

Os deputados interpelaram ainda o ministro da Saúde sobre o novo serviço de radioterapia na Beira interior para servir os distritos de Guarda, Viseu e Castelo Branco e o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social sobre a destituição do diretor do Centro de Emprego da Guarda e do diretor adjunto de Pinhel, que estavam a cumprir o primeiro ano das comissões de serviço que terminavam em 2018.

“Como é possível que o PSD, que liderou um Governo que durante quatro anos votou a Guarda e [o] seu distrito ao abandono e que levou a cabo uma política de encerramento, empobrecimento, austeridade cega, insensibilidade social, venha agora, ao fim de 80 dias de um novo Governo, questionar por soluções que façam justiça à Guarda e ao interior, na medida em que o anterior Governo as negou?”, questionou o PS hoje.

“Pelos vistos, os fundamentalistas do princípio do utilizador/pagador ao nível das autoestradas do interior, também descobriram, de repente, que já é possível eliminar ou reduzir as portagens na A23 e na A25”, assinala o partido.

No comunicado, é também referido que as “preocupações serôdias com a Guarda por parte do PSD e dos seus deputados, não são para levar a sério”.

“Então o que está por trás desta posição pública e o que de facto, verdadeiramente, a motivou? A resposta está no último tema que levantam! Defender os seus ‘homens de mão’ e clientelas partidárias nos vários serviços descentralizados do Estado”, denuncia o PS, numa alusão às destituições do diretor do Centro de Emprego da Guarda e do diretor adjunto de Pinhel.

Para o PS, “o descaramento tem limites”, perguntando se o PSD/Guarda “entende que a competência e o mérito são exclusivos dos portadores de cartão laranja e que por isso têm o exclusivo de ser os dirigentes locais dos serviços do Estado”.

*Com Lusa

Comentar