Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 10, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cerfundão quer investir quatro milhões de euros até 2018

José Lagiosa

A Cerfundão, empresa de embalamento e comercialização de cereja sediada no Fundão, está a realizar um projeto de expansão e modernização que implicará um investimento global de quatro milhões de euros, a realizar até 2018.

Segundo o presidente desta estrutura, José Pinto Castello Branco, o plano começou a ser executado há cerca de dois anos e já conta com diversas melhorias realizadas, algumas das quais dadas hoje a conhecer à comunicação social no âmbito da apresentação do programa de promoção da Cereja do Fundão para 2016.

Entre o investimento realizado está a expansão do espaço físico para o dobro daquele que era anteriormente utilizado, bem como a aquisição de novos equipamentos e uma maior aposta na qualificação da empresa, designadamente de recursos humanos.

Em termos de equipamentos, a Cerfundão passou a contar com uma “renovada sala de embalamento” e com ferramentas essenciais, como um calibrador ótico de última geração, maquinaria para o tratamento da cereja pós-calibragem ou novas câmaras de refrigeração e congelação.

Além disso, está já prevista uma nova expansão do espaço físico da empresa, através da ligação entre o pavilhão em que funciona a Cerfundão e o edifício principal do Mercado Abastecedor da Cova da Beira.

A Cerfundão passará então a contar com uma área coberta de 5.000 metros quadrados e as obras deverão avançar assim que termine a campanha frutícola deste ano.

“Uma parte importante de todas estas obras é a da dotação, por parte da empresa, das condições necessárias para corresponder aos protocolos de certificação internacional mais exigentes”, especificou José Pinto Castello Branco.

Segundo sublinhou, o processo para o acesso a esses protocolos de certificação de qualidade já foi iniciado, sendo que, assim que estiver concluído, a Cerfundão passa a estar habilitada para “comercializar fruta em qualquer parte do mundo, mesmo nos mercados mais exigentes, como por exemplo, o inglês e japonês”.

A internacionalização é, aliás, uma das estratégias seguidas pela Cerfundão e pela Câmara Municipal do Fundão, que este ano investirá 55 mil euros no programa de promoção da marca “Cereja do Fundão”.

Segundo o presidente deste município, Paulo Fernandes, a campanha de 2016 voltará a contar com diversas ações de promoção do próprio fruto, bem como dos subprodutos criados a partir da cereja.

Um portefólio que tem vindo a ser alargado e que permite rentabilizar a cereja ao longo de todo o ano.

Entre estes produtos há licores, chás, compotas, bombons ou o mais famoso de todos, o Pastel de Cereja do Fundão, cujas vendas do último ano chegaram às 260 mil unidades, segundo dados hoje revelados por Paulo Fernandes.

*Lusa

Comentar