Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

“Era uma vez um Homem” vence Prémio Literário UCCLA

“Era uma vez um Homem” vence Prémio Literário UCCLA
José Lagiosa

O português João Nuno Rodrigues Pacheco Guimarães Azambuja, com a obra “Era uma vez um Homem” foi o grande vencedor do Prémio Literário UCCLA – Novos Talentos, Novas Obras em Língua Portuguesa, anunciou hoje o secretário geral da organização, Vítor Ramalho.

Face à qualidade das obras apresentadas, o júri decidiu atribuir, ainda, duas Menções Honrosas, uma em prosa e outra em poesia, a:

– “Ausência” de Ana Beatriz Leal Saraiva, do Brasil;

– “Memórias Fósseis” de Wesley d’ Almeida, do Brasil.

Na ocasião, Vitor Ramalho afirmou que perante a grande adesão de candidaturas “tivemos a noção exata de que a língua portuguesa é aquela que maior produção vai ter no mundo, entre as cinco línguas mais faladas, e que tem a singularidade de ser uma língua materna” pois “estávamos longe de prever que este concurso acabaria por ser o maior que, até hoje, teve em termos de candidaturas”.

O secretário-geral saudou as personalidades de reconhecido mérito que assumiram a responsabilidade de selecionar e escolher as obras apresentadas.

A Editora A Bela e o Monstro, o Movimento 2014 e a Câmara Municipal de Lisboa associaram-se à UCCLA neste concurso literário.

Este é considerado o prémio com maior número de participantes de língua portuguesa, num total de 722 autores, e o maior número de obras apresentadas, com 865 obras

Quanto à diversidade e abrangência dos autores, conseguiu-se o pleno dos países lusófonos, com grande representatividade do Brasil, e ampliou-se a outras nacionalidades – candidataram-se autores de Espanha, Itália e Canadá, que escrevem em Português.

Quanto ao género, 281 são mulheres e 441 homens.

Foi um sucesso no seu objetivo de promover jovens escritores, uma vez que 44 dos candidatos têm entre os 16 e os 20 anos, e 362 candidatos têm entre os 20 e os 40 anos.

Por outro lado conseguiu-se um diálogo de gerações, atraindo ao concurso literário 72 escritores seniores, com idades entre os 60 e os 90 anos.

O júri foi constituído pelos escritores António Carlos Secchin, Inocência Mata, José Luís Mendonça, José Pires Laranjeira, José Augusto Bernardes, Fernando Pinto do Amaral e ainda João Pinto Sousa, da Editora A Bela e o Monstro, e Rui Lourido, da UCCLA.

O Júri agradece a António Carlos Cortez, seu consultor, pelo trabalho de triagem das candidaturas apresentadas a concurso.

 

 

 

 

Comentar