Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Junho 3, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Fadista Luísa Rocha atua esta semana em Paris

Fadista Luísa Rocha atua esta semana em Paris
José Lagiosa

A fadista Luísa Rocha atua em Paris, esta semana, no âmbito das celebrações do Dia da Europa, em dois concertos, em que apresenta o mais recente álbum, “Fado veneno”.

“Os franceses mostram um interesse cada vez maior pelo fado, e até aprender a interpretar e a tocar”, disse à agência Lusa Luísa Rocha, que é madrinha da Academia de Fado de Paris, uma iniciativa de Valérie do Carmo.

“Este convite é também uma responsabilidade, dado que a Academia leciona aulas de guitarra portuguesa, de viola e de interpretação, refletindo a expansão do fado e o interesse que motiva cada vez mais luso-descendentes e não só”, referiu a fadista que, em outubro do ano passado, atuou na Câmara de Paris.

Na sexta-feira, Luísa Rocha apresenta o CD na Galeria Lusofolie’s, na capital francesa, e no sábado, no Auditório Jean-Pierre Miquel, em Vincennes, no Val-de-Marne, nos arredores de Paris.

“O alinhamento é essencialmente o do álbum ‘Fado veneno’”, disse à Lusa a fadista, que não descartou interpretar temas do seu álbum de estreia, “Uma noite de amor”.

“Fado veneno” foi elogiado pela BBC Radio3, que considerou a voz de Luísa Rocha “inebriante e sedutora”, sendo um álbum constituído apenas por poemas inéditos, alguns escritos propositadamente para a sua voz.

O CD, que inclui poemas de Maria de Lourdes de Carvalho, Gonçalo Salgueiro e Nuno Miguel Guedes, entre outros, revela “uma evolução amadurecida e consistente na carreira, tendo sido muito refletido e feito com toda a calma necessária”, de acordo com a fadista.

Neste álbum, produzido, tal como o de estreia, pelo músico Carlos Manuel Proença, a fadista realçou ter tido “uma maior participação nas diferentes fases” criativas, e tendo arriscado uma maior exposição de si própria.

“Na escolha de repertório expus-me mais, tive menos pudor, menos medo, despi-me mais dos preconceitos, quis mostrar ao público a minha forma de vida”, disse.

Um dos poemas que gravou e que considera “autobiográfico” é “Ao som das tuas mãos”, que o fadista e poeta Gonçalo Salgueiro escreveu para si, e que interpreta na melodia do Fado Súplica, de Armando Machado.

Salgueiro é também o autor de “Em ti”, tendo, pela primeira vez, escrito um poema para uma composição pré-existente, neste caso, de autoria de Carlos Manuel Proença.

Outro fadista que escreveu para Luísa Rocha foi António Rocha, que aponta como seu “grande mestre”, e que assina “Quando chegar a hora”, gravado na melodia do Fado Alexandrino, de Joaquim Campos, o tema de eleição da BBC Radio3.

Nos dois concertos, Luísa Rocha é acompanhada pelos músicos Guilherme Banza, na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira, na viola, e Frederico Gato, na viola baixo .

*Lusa

Comentar