Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Campanha “Despir os preconceitos, vestir a inclusão” lançada sexta-feira em Santarém

Campanha “Despir os preconceitos, vestir a inclusão” lançada sexta-feira em Santarém
José Lagiosa

O núcleo distrital de Santarém da Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN) lança, sexta-feira, em Santarém, uma campanha para “desmistificar e desconstruir preconceitos e estereótipos” para com grupos socialmente vulneráveis.

A Campanha “Despir os preconceitos, Vestir a Inclusão”, a lançar numa iniciativa que decorrerá ao longo do dia de sexta-feira na Sala de Leitura Bernardo Santareno, surgiu na sequência do trabalho das estruturas distritais do Núcleo Regional do Centro da EAPN Portugal (Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Santarém e Viseu), juntamente com os Conselhos Locais de Cidadãos desses distritos, segundo uma nota do núcleo de Santarém.

Do trabalho junto de pessoas que “experienciam ou experienciaram situações de pobreza e/ou exclusão social, surgiu a necessidade de sensibilizar para a desconstrução de preconceitos e estereótipos” em relação a alguns grupos socialmente vulneráveis, como “pessoas com deficiência e incapacidades, idosos, desempregados, minorias étnicas e migrantes, famílias em situação de pobreza, pessoas sem-abrigo, ex-toxicodependentes e ex-reclusos”.

A campanha consiste na distribuição de materiais (cartazes, crachás, sacos e canetas) junto de entidades e organismos que trabalham diretamente com estes grupos, assim como escolas e outras instituições, bem como junto da comunidade em geral.

Ricardina Dias, técnica do núcleo de Santarém da EAPN, disse à Lusa que a campanha envolveu as pessoas que vivem ou viveram situações de exclusão desde a sua conceção – tendo os temas sido propostos num encontro realizado na Guarda – até à própria apresentação, que é feita por porta-vozes dos Conselhos Locais de Cidadãos.

O objetivo é chegar à comunidade em geral, com um ênfase particular a ser colocado nas escolas a partir de setembro, sendo que haverá um acompanhamento da forma como os materiais que vão ser entregues gratuitamente a várias entidades serão aplicados e do impacto que irão gerar, afirmou.

Na ação programada para sexta-feira, à apresentação da campanha, agendada para o período da manhã, seguir-se-á, à tarde, uma “conversa” sobre “Ser cidadão, direitos e deveres na sociedade no contexto atual”.

*Lusa

Comentar