Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cinco distritos do interior investem 574 mil euros na promoção internacional

Cinco distritos do interior investem 574 mil euros na promoção internacional
José Lagiosa

Vários produtos tradicionais dos distritos de Guarda, Bragança, Castelo Branco, Vila Real e Viseu vão ser promovidos internacionalmente no âmbito do projeto “Terras Altas de Portugal – Novos Horizontes”, que prevê um investimento de 574 mil euros.

O projeto, que envolve as associações empresariais dos distritos abrangidos, vai vigorar até 2017 e tem como objetivo promover a internacionalização de alguns produtos tradicionais, como carnes e fumeiro, doces, compotas, mel, azeite, frutas, legumes, vinhos, queijos, entre outros, contribuindo para o aumento competitivo das empresas.

“O objetivo não é criar mais uma marca”, disse João Gonçalves, do Nerga – Associação Empresarial da Região da Guarda, no seminário de lançamento do projeto realizado hoje nas instalações daquela entidade.

Segundo o responsável, o projeto é um “chapéu” que “vai validar” os produtos do território abrangido e ajudar a “abordar os novos mercados mais indicados”.

O “Terras Altas de Portugal – Novos Horizontes” irá organizar a oferta dos segmentos com maior potencial de internacionalização, criar uma carta de qualidade que permita atribuir aos produtos de excelência o selo “Terras Altas de Portugal”, promover os produtos nos mercados externos e procurar novos mercados, com destaque para os Estados Unidos da América, México, Inglaterra e França, segundo os promotores.

“O ‘Terras Altas de Portugal’ é um conceito muito poderoso e muito internacionalizável”, que visa “dar oportunidades globais aos produtos locais”, referiu Luís Ferreira, especialista em marketing internacional.

O responsável observou que os produtos que vão ser abrangidos “contam uma história impregnada de tradição, de usos e costumes”, mas “estão, muitas das vezes, ligados ao mercado local e regional”.

“O nosso desafio é a valorização desta excelência territorial, inserindo-a eficazmente nos mercados internacionais de valor acrescentado”, vincou.

Para atingir tal objetivo será desenvolvida uma estratégica que inclui quatro eixos: fortalecimento da oferta, promoção da oferta no mercado externo, prospeção e penetração em novos mercados e disseminação de resultados.

O projeto “Terras Altas de Portugal – Novos Horizontes” é financiado pelo POCI – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização/Compete 2020, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas na área da internacionalização.

Para além da Associação Empresarial da Região da Guarda (Nerga) abrange a Associação Empresarial da Beira Baixa (AEBB), a Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV), a Associação Empresarial de Vila Real (Nervir) e a Associação Empresarial do Distrito de Bragança (Nerba).

*Lusa

Comentar