Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Almanaque Lusa – 20 de outubro

Almanaque Lusa – 20 de outubro
José Lagiosa

Hoje é quinta-feira, 20 de outubro, ducentésimo nonagésimo quarto dia do ano, Dia Mundial da Resolução de Conflitos, Dia Mundial do Combate ao Bullying, Dia Mundial da Luta Contra a Osteoporose, Dia Europeu da Microfinança, Dia Mundial da Estatística, Dia Mundial da Paralisia Cerebral e Dia Nacional da Paralisia Cerebral.

Faltam 72 dias para o final de 2016.

Este dia é dedicado a Santa Iria, Mártir, e ao Beato Contardo Ferrini, Leigo.

Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Minguante. Quarto Minguante, dia 22, às 20:14.

O Sol nasce às 07:51 e o ocaso regista-se às 18:51.

No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 06:55 e 19:24, a baixa-mar, às 00:17 e 12:45.

Os nascidos nesta data pertencem ao signo Balança, destacando-se o arquiteto inglês Christopher Wren (1632), o compositor norte-americano Charles Ives (1874) e o músico Tom Petty.

Nesta data, em 1609, a povoação de Peniche era elevada a vila.

Em 1854, nascia o poeta francês Arthur Rimbaud, autor de “Carta do Vidente”, “Uma Temporada no Inferno” e “Iluminações”.

Em 1870, a Covilhã passava a cidade.

Em 1905, a adesão dos ferroviários russos à greve iniciada pelos operários de São Petersburgo, paralisava o país. A ação de natureza anarco-sindicalista culminaria com a promessa de liberdade de imprensa e de associação do Czar Nicolau II, mas tudo estaria esquecido em dezembro, abrindo caminho a uma tentativa de golpe bolchevique, em Moscovo.

No mesmo dia, há cem anos, nascia o escritor policial norte-americano, Frederic Dannay, parceiro de Manfred Lee, nas aventuras de Ellery Queen.

Em 1913, em Portugal, João de Azevedo Coutinho liderava uma tentativa de revolução monárquica.

Em 1964, morria Herbert Clark Hoover, antigo presidente dos EUA, promotor do auxílio norte-americano à Europa durante a Grande Guerra de 1914-18.

Em 1980, a Frente Republicana e Socialista apoiava a recandidatura de António Ramalho Eanes à Presidência da República Portuguesa.

Em 1981, uma alta missão militar chinesa começava uma visita de 12 dias a Portugal.

Em 1989, o Parlamento húngaro consagrava o sistema pluripartidário no país.

Em 1995, Willy Claes, pronunciado num caso de corrupção, renunciava ao cargo de secretário-geral da NATO.

Em 1997, começava, na Áustria, o Encontro Intratimorense.

Em 1999, o Parlamento indonésio escolhia o líder muçulmano moderado Abdurrahman Wahid para presidente da República e, em 2001, tropas especiais norte-americanas atacavam a cidade de Kandahar, no Afeganistão.

Em 2004, era lançada a nova edição de “As Farpas”, de Eça de Queiroz, com as versões originais dos textos publicados na imprensa, distinta da revista pelo escritor em “Uma Campanha Alegre”. No mesmo dia, morriam Ildo Lobo, 50 anos, músico cabo-verdiano, e Paul Nitze, 97 anos, financeiro norte-americano.

Em 2005, Cavaco Silva apresentava a candidatura à Presidência da República, e um advogado da equipa de defesa de Saddam Hussein era morto num ataque, em Bagdad. No mesmo dia, morria Shirley Horn, 71 anos, compositora, pianista e cantora norte-americana, diva do jazz.

Em 2006, o governo limitava o aumento das tarifas de eletricidade para a generalidade dos consumidores domésticos a 06 por cento, em 2007, cerca de metade do proposto pelo regulador do setor, ERSE.

Em 2007, em entrevista ao semanário Sol, o Procurador-Geral da República afirmava que em Portugal as escutas telefónicas “são feitas exageradamente” e manifestou “profundas dúvidas sobre a proibição da publicação” dos seus conteúdos, como define o novo Código do Processo Penal. Pinto Monteiro admitiu que o seu telemóvel possa estar sob “escuta”, porque “às vezes faz uns barulhos esquisitos”.

Em 2008, morria a Irmã Emmanuelle, uma das personalidades preferidas dos franceses, que dedicou a vida aos mais pobres, nomeadamente no Cairo, com 99 anos, anuncia em comunicado o presidente da Asmae, Associação Irmã Emmanuelle.

Em 2010, morria, com 87 anos, a atriz Mariana Rey Monteiro, que se estreou em 1946 no Teatro Nacional, na peça Antígona, de Sófocles. A sua participação no filme Um Dia de Vida valeu-lhe um Óscar da Imprensa, em 1962, e em 1996 foi distinguida com o grau de Grande Oficial da Ordem Sant’Iago da Espada, como reconhecimento pela sua carreira. Morria, aos 70 anos, Farooq Leghari, antigo Presidente paquistanês que afastou Benazir Bhutto do cargo de primeira-ministra há 14 anos.

Em 2014, morria René Burri, fotógrafo suíço que registou alguns dos mais importantes acontecimentos e personalidades do século XX. Tinha 81 anos. Oscar de la Renta, estilista, morre aos 82 anos, na sua casa no estado norte-americano do Connecticut.

*Lusa

Comentar