Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Portuguesas obtêm 4º lugar no Gerês a contar para o Trail World Championship 2016

Portuguesas obtêm 4º lugar no Gerês a contar para o Trail World Championship 2016
José Lagiosa

A selecção nacional feminina portuguesa obteve um excelente 4º lugar, no passado sábado dia 29 de outubro, no Campeonato Mundial de Ultra Trail, que se realizou na Peneda Gerês na distância de 85 kms.

Para o êxito do coletivo nacional foi indispensável a prestação de Sara Brito, natural das Sarzedas, Castelo Branco, 47 anos, professora de Educação Física, actualmente moradora em Leiria e que participou, pela primeira vez, num Mundial de Trail.

A atleta foi a portuguesa mais bem classificada ao chegar em 21º lugar, na corrida feminina e 103ª da geral.

Sara Brito, que corre no Clube de Atletismo Barreira, fez um esforço enorme nos derradeiros quilómetros para poder chegar no lugar que contribuiu para o excelente 4º lugar colectivo, como foi evidente para quem assistiu, ao vivo, à sua chegada à meta.

Sara Brito

O esforço bem patente no rosto de Sara Brito

“Até eu chorei ao ver a chegada dela… chegou desidratada e de rastos”, testemunha Paulo Duarte, um colega no clube leiriense.

Por sua vez, a irmã da atleta, Patrícia Brito colocou um post na sua página do Facebook onde presta uma homenagem à irmã e testemunha igualmente o grande esforço físico de Sara para concluir os últimos metros que antecediam a meta.

“Estavam ali os melhores do mundo. Todos. Sei muito bem o orgulho que a minha irmã tem em representar o nosso país. Sei muito bem de que fibra ela é feita e aquilo de que é capaz. Corri, gritei, enervei-me, sofri muito a apoiá-la, mas nunca na vida vou apagar da cabeça a imagem traumática de a ver, exausta, no limite, numa entrega absoluta e quase absurda, em cima da linha da meta, incapaz de a cortar porque as pernas não respondiam às ordens. Mas então a vontade, a vontade férrea, uma capacidade incrível de superação, de dar tudo o que se tem. A Sara cortou a meta de gatas. Foi a primeira portuguesa a fazê-lo contribuindo de forma decisiva para o histórico 4º lugar alcançado pela equipa feminina nacional”, lê-se no post.

 

 

 

 

Comentar