Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 11, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Incêndios: Castelo Branco registou este ano diminuição de 5,3% na área ardida face a 2015

José Lagiosa

O distrito de Castelo Branco registou este ano uma diminuição de 5,3% na área ardida face a 2015 e, pelo segundo ano consecutivo, o distrito não teve quaisquer reacendimentos, foi hoje anunciado.

“O combate [aos fogos florestais] atingiu a excelência e não se pode exigir mais. Por isso, queremos inverter a pirâmide”, disse hoje o comandante operacional distrital de Castelo Branco, Rui Esteves.

Rui Esteves, Comandante Distrital Rui Esteves do CDOS de Castelo Branco

Rui Esteves, Comandante Distrital do CDOS de Castelo Branco

Este responsável, que falava durante o balanço do ano de 2016, relativamente ao Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Florestais (DECIF) no distrito, explicou que esse objetivo faz-se através da sensibilização e da informação pública que a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) desenvolve ao longo do ano.

Este ano, o total da área ardida no distrito foi de 3.218 hectares, com o concelho de Castelo Branco a ser aquele que registou a maior área ardida e também o maior número de ocorrências – 92 – entre 01 de janeiro e 15 de outubro.

O responsável pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) adiantou, ainda, que, pelo quarto ano consecutivo, o distrito não registou quaisquer falsos alertas de fogos florestais, um dado que considera importante e que resulta do trabalho realizado entre as diversas entidades e, sobretudo, entre a sala de operações e os vigilantes.

“Isto resulta da partilha de informação e coesão de esforços independentemente da entidade”, disse.

Rui Esteves sublinhou, ainda, que o distrito de Castelo Branco é o quarto maior do país e aquele que tem a maior mancha florestal de pinheiro bravo da Europa, factos que o deixam “claramente confortado com o trabalho que todas as entidades desenvolveram”.

*Lusa

Comentar