Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 25, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Fora do Lugar teve sabor a consagração na Catedral de Idanha-a-Velha

Fora do Lugar teve sabor a consagração na Catedral de Idanha-a-Velha
José Lagiosa

Há um ano, em pleno Fora do Lugar, chegava a notícia de que a UNESCO atribuíra a Idanha-a-Nova o título de Cidade Criativa da Música.

Doze meses depois, a quinta edição deste festival internacional de músicas antigas, teve sabor a consagração.

Foram três semanas de concertos e atividades educativas e culturais, por vilas e aldeias do concelho idanhense.

No concerto de encerramento, a 10 de dezembro, a música basca de Kepa Junkera & Sorginak levou ao rubro a imponente Sé de Idanha-a-Velha.

A música basca de Kepa Junkera & Sorginak

“Foi mais uma grande edição do Fora do Lugar, novamente com um sabor muito especial”, começou por dizer no encerramento o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova.

Armindo Jacinto recordou que “há um ano Idanha-a-Nova tornou-se a primeira comunidade rural do mundo a integrar a rede de Cidades Criativas da UNESCO, composta por grandes cidades como Liverpool, Bolonha ou Sevilha”.

“Agora”, refere o autarca, “a distinção que conseguimos dá-nos responsabilidades acrescidas, e o Fora do Lugar é já uma referência entre os projetos culturais da região e do país”.

Com efeito, salas cheias e grandes concertos voltaram a fazer do Fora do Lugar um sucesso.

O festival é produzido pela Arte das Musas em parceria com o Município de Idanha-a-Nova, com o apoio do Ministério da Cultura e da Direção-Geral das Artes.

 

 

Comentar