Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 31, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Proença-a-Nova candidata Cantar das Janeiras a Património Imaterial da Humanidade

Proença-a-Nova candidata Cantar das Janeiras a Património Imaterial da Humanidade
José Lagiosa

A Câmara de Proença-a-Nova vai avançar com a candidatura do “Cantar das Janeiras” e da “Encomendação das Almas” a Património Cultural e Imaterial da Humanidade, disse hoje à agência Lusa o presidente do município.

“Vai ser uma candidatura com duas propostas, uma referente ao Cantar das Janeiras e outra em relação à Encomendação das Almas. Trata-se de dois rituais ligados ao culto religioso cristão, mas que fazem parte integrante dos usos e costumes de um povo e da região”, disse João Lobo.

O presidente deste município do distrito de Castelo Branco adiantou que já encetou contactos com as instituições ligadas à cultura no sentido de preparar a formalização da candidatura a Património Cultural e Imaterial da Humanidade da UNESCO.

João Lobo explicou ainda que a decisão em avançar com esta candidatura está tomada, seja ela a título individual ou através de todo o país.

Isto porque o autarca recorda que o Cantar das Janeiras é um costume transversal a todo o país e não apenas ao concelho de Proença-a-Nova, pelo que entende que a candidatura deveria ser nacional.

“Seja como for, agregados ou de forma isolada, vamos avançar. Já encetei contactos para formalizar a candidatura. Se houver outros, muito bem, caso contrário avançamos”, sustentou.

O autarca sublinha que no concelho de Proença-a-Nova ainda existem muitos grupos que mantêm viva esta tradição desenvolvida durante o mês de janeiro, como forma de desejar prosperidade no início de um novo ano, anunciando o nascimento de Jesus e pedindo uma esmola.

O Encontro de Janeireiros é a prova disso mesmo, sendo que este ano participaram as aldeias de Alvito da Beira, Caniçal Cimeiro, Caniçal Fundeiro e Vale da Carreira, Corgas, Cunqueiros, Pergulho, São Pedro do Esteval, Vale de Água, Pernadas e Serimógão e o Vergão.

Participou ainda pela primeira vez um grupo convidado, o Grupo de Montanhismo dos Serviços Sociais da CGD.

Segundo João Lobo, estão agora a ser dados os primeiros passos no sentido de formalizar a candidatura e a expectativa é que de facto seja aprovada pela UNESCO.

“Com a expectativa da aprovação, esse reconhecimento internacional seria uma mais-valia e funcionaria como o primeiro marco promocional de uma região”, concluiu o autarca.

*Lusa

Comentar