Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 22, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Barbero espreita oportunidade no Alentejo

Barbero espreita oportunidade no Alentejo
José Lagiosa

Espanhol é o único que pode quebrar a tradição

No pelotão de 150 homens que começa esta quarta-feira, em Portalegre, a 35ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola apenas um, Carlos Barbero, pode vencer a “teimosia” da “Alentejana”.

Carlos Barbero da Pro Tour Movistar

O espanhol da equipa Pro Tour Movistar é, entre os participantes da edição deste ano, o único corredor que já venceu a corrida e, portanto, o único que poderá quebrar a tradição, uma vez que até agora a prova nunca foi ganha duas vezes pelo mesmo homem.

Espetáculo itinerante já enraizado na cultura desportiva da região e uma das maiores referências do ciclismo português, desde 1983, a Volta ao Alentejo Crédito Agrícola vai terminar no domingo, em Évora, após cinco etapas e quase 900 quilómetros de competição.

Esta terça-feira, a movimentação típica do início das grandes provas agitou o Centro de Artes e Espetáculo de Portalegre onde decorreu o secretariado e a reunião dos diretores desportivos que confirmaram a lista de participantes.

A logística da Podium Events, que organiza a competição com a CIMAC – Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e está habituada à responder às necessidades de grandes eventos como a Volta a Portugal, envolve quase 400 pessoas num rodopio diário que por estes dias anima os locais por onde a prova vai passando.

São 19 equipas com um pelotão de 150 homens aos quais se junta todo o pessoal técnico entre elementos de montagem de estruturas, secretariado e comissários, além da imprensa.

Realizada, este ano, mais cedo e com algumas novidades destacando-se o regresso ao escalão 2.1 da UCI – União Ciclista Internacional, a Volta ao Alentejo abriu as portas à participação de mais e melhores equipas do ciclismo mundial.

Marcas que marcam no Alentejo

Até domingo, estão em discussão 15 Metas Volantes e 7 Prémios de Montanha, além da vitória em cada uma das 5 etapas.

A apresentação da Volta ao Alentejo 2017

O pelotão lutará diariamente por uma das quatro “Camisolas” símbolos de liderança.

A maior distinção de todas, a Camisola Amarela Crédito Agrícola para o líder da classificação geral, a Camisola Castanha Delta Cafés vai premiar o melhor trepador, a “novíssima” Camisola Preta Kia dos pontos vai distinguir o homem mais regular e, por fim, a Camisola Branca RTP será envergada pelo jovem melhor classificado.

Na etapa inaugural, esta quarta-feira, o pelotão sai de Portalegre pelas 12 horas e após 158 quilómetros irá chegar à pitoresca e medieval vila de Castelo de Vide onde será conhecida a primeira Camisola Amarela Crédito Agrícola.

A tirada inaugural é a mais curta, mas também das mais duras com a travessia do Parque Natural da Serra de São Mamede onde estão quatro contagens para o Prémio de Montanha: a subida de 2ª categoria em Cabeço do Mouro (km 102,2), uma contagem de 3ª categoria em Monte Paleiros (km 107,3), uma rampa de 4ª categoria em Marvão (km 118) e a derradeira inclinação na Sra. da Penha, de 3ª categoria (km 138,6). As Metas Volantes estarão instaladas no Crato (km 17), Monforte (km 57,4) e Portalegre (km 99).

A chegada a Castelo de Vide está prevista para as 16 horas, horário previsível para todos os finais de etapa.

 

 

 

Comentar