Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 10, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Vila Velha de Ródão acolhe debate nacional sobre Central Nuclear de Almaraz

Vila Velha de Ródão acolhe debate nacional sobre Central Nuclear de Almaraz
José Lagiosa

O presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, Luís Pereira participa, no próximo dia 24, num debate nacional, transmitido pela rádio Antena 1,  sobre a Central Nuclear de Almaraz e a ameaça que ela representa para o rio Tejo e para toda a zona raiana.

O programa ‘Portugal em Direto’ vai ser realizado à porta do Município de Vila Velha de Ródão, entre as 13h15 e as 14 horas, numa edição conduzida pela jornalista Cláudia Costa.

Além de Luís Pereira, está já confirmada a presença do meteorologista Manuel Costa Alves, membro do Movimento Tejo Seguro e do Movimento Ibérico Anti nuclear, tendo ainda sido convidados elementos da direção da Autoridade Nacional de Proteção Civil e do Laboratório de Proteção e segurança radiológica.

Durante a emissão irão intervir os repórteres Paulo Brás, em direto a partir de Vila Velha de Ródão, e Miguel Soares, desde a localidade espanhola de Almaraz.

No entender do presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão a Central Nuclear de Almaraz, a qual se situa em Espanha, a cerca de 100 quilómetros da nossa região e que é refrigerada pelas águas do Rio Tejo, deve ser encerrada.

Luís Pereira explica estar contra “o funcionamento da Central Nuclear de Almaraz, pois aquilo que está em causa são os interesses económicos espanhóis que mantêm em funcionamento uma infraestrutura que já está amortizada, cujo seu período de vida era de 20 anos e que já funcionou mais 10, com todos os riscos que lhe estão associados”.

Luís Pereira recorda que “Portugal é um país que decidiu não ter energia nuclear, pelo que toda a sua produção energética não contempla as centrais nucleares. Mas hoje somos confrontados com uma decisão que coloca sob o nosso país todo o ónus negativo que o funcionamento de uma estrutura dessas tem. O Governo espanhol tem toda a legitimidade de definir o seu modelo energético, mas não pode colocar Portugal a sofrer as consequências dessa decisão. Isso não podemos aceitar”.

A Central Nuclear de Almaraz já ultrapassou a sua vida útil, mas o recente anúncio por parte do Estado espanhol em construir um armazém para resíduos daquela estrutura pressupõe que irá continuar em funcionamento.

O autarca sublinha ainda o facto de Portugal ser prejudicado duplamente. “Primeiro somos penalizados pelas questões ambientais, ficando expostos a riscos, depois Espanha ao produzir energia barata através deste tipo de centrais cria melhores incentivos energéticos para as suas empresas”.

Para Luís Pereira, “Portugal deveria ser consultado sobre essa matéria e sobre o estudo que deveria ter sido feito em termos de impacte ambiental – e que não foi realizado – para a construção desse mesmo armazém”.

Por isso, assegura o autarca de Vila Velha de Ródão, as “instituições europeias devem ter uma palavra a dizer. E nesse sentido o Ministro do Ambiente esteve muito bem em colocar esta questão na União Europeia”.

Comentar