Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 6, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Festival Literário de Castelo Branco arranca em Alcains com “A Canção Raiana Perdida”

Festival Literário de Castelo Branco arranca em Alcains com “A Canção Raiana Perdida”
José Lagiosa

A 5ª edição Fonteira – Festival Literário de Castelo Branco teve a sua sessão inaugural, esta noite, no auditório do Museu do Canteiro em Alcains.

José Dias Pires, Comissário do Festival

A partir da projeção de um segmento de “A Canção Raiana Perdida”, do realizador e musicólogo inglês, Tom Hamilton, radicado na Beira Baixa há vinte anos, falou-se de artes, costumes e tradições da região.

Os sons das gentes, das paisagens, do Rio Tejo, das aves e dos animais, são descritos por homens e mulheres antigos e nostálgicos de um tempo sem retorno.

Um documentário vivo, para memória futura da música ancestral, a partir das serranias, dos vales, do rio e dos ribeiros, dos sons dos instrumentos de trabalho, das aves e dos animais que encantaram as poucas, infelizmente, pessoas presentes nesta sessão inaugural.

Uma viagem que não deixou passar em claro, os tocadores de sinos, os sons por eles produzidos, o território, hoje praticamente abandonado, a Torre do Relógio, na capital albicastrense e até o Bordado de Castelo Branco.

Após a visualização do segmento do filme, tempo para a conversa entre José Dias Pires, Comissário do Festival, Manuel Costa Alves do grupo As Romãs também existem, de Carlos Santos, músico e responsável pela edição do filme e Tom Hamilton, realizador e musicólogo.

Por razões imponderáveis, não foi possível contar com a presença, prevista, de Samuel Tavares, director de filmagem e co-realizador.

Intercalado com a conversa, houve quatro momentos musicais pela voz de Idalina Sameiro, estudiosa e cantora da música popular da região.

Tom Hamilton e Idalina Sameiro

O festival tem amanhã, duas sessões, de manhã no Agrupamento de Escolas de Alcains e S. Vicente da Beira e à tarde, na Escola João Roiz, com a participação dos respetivos alunos dos estabelecimentos de ensino, em ambiente informal e descontraído, com escritores e ilustradores partilham a sua experiência e respondem às questões dos mais novos.

Comentar