Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 20, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Gaia “fortalece raciocínio matemático” de 1.500 alunos através da informática

Gaia “fortalece raciocínio matemático” de 1.500 alunos através da informática
José Lagiosa

A Câmara de Vila Nova de Gaia vai disponibilizar a 1.500 alunos do 4.º ano de escolaridade uma ferramenta informática que tem como objetivo “fortalecer muito o raciocínio matemático”, indicou hoje o presidente da autarquia, Eduardo Vítor Rodrigues.

Em causa está um projeto-piloto que avançou no Fundão e que também já foi replicado em Lisboa, sendo dinamizado por uma entidade chamada Academia de Código e que se traduz na disponibilização de licenças informáticas a estudantes do Ensino Básico.

Em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, o projeto vai ser gerido pela Câmara no âmbito do programa “Gaia Aprende +” e financiado pela Missão Continente arrancando “a todo o gás no próximo a ano letivo, apesar de já poder ser testado ainda no presente ano”, disse Eduardo Vítor Rodrigues.

“[O projeto] Academia de Código permite fortalecer muito o raciocínio matemático. É uma licença que permite generalizar às crianças mas também às famílias. Além da matemática, também trabalha a área da bi e da tridimensionalidade uma vez que é um programa que trabalha muito as perspetivas e que trabalha a própria programação”, explicou o autarca.

Eduardo Vítor Rodrigues destacou a “descomplexificação do Município”, por envolver “através de relações muito fortes” 16 Instituições Particulares de Solidariedade Social no “Gaia Aprende +” e neste projeto criar “uma relação com o mundo privado”, neste caso com a Missão Continente, do universo Sonae.

Questionada sobre o valor de investimento, a diretora de ativação da Missão Continente, Nádia Reis, apontou que está a decorrer o processo de construção de candidatura, pelo que “ainda não é possível adiantar números” mas a parceria com Gaia, disse, tem por base uma “lógica de continuidade”.

“Queremos ser pioneiros e estar na vanguarda da inovação social. Vila Nova de Gaia é um ponto de partida para avaliar e para partir para outros destinos mas também para fortalecer aqui”, disse a responsável.

Já Eduardo Vítor Rodrigues apontou saber que a experiência no Fundão e também em Lisboa mostrou que “não há quem saia deste programa desempregado”.

“Estamos a falar dos formadores e de um potencial que as crianças têm no futuro ligado à matemática, informática e novas tecnologias”, disse o autarca que falava no Centro Paroquial de Santo André de Canidelo onde decorreu a 4.ª Conferência de Gaia “Inovação Social”.

Convidado a fazer um balanço sobre um evento que juntou autarcas, dirigentes e técnicos de instituições e entidade ligados à solidariedade social e ao empreendedorismo e que teve como oradores, entre outros, a ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, e do presidente da Portugal Inovação Social, Filipe Almeida, o presidente da Câmara de Gaia destacou a necessidade de trabalhar em rede.

“Tira-se a conclusão de que não há aqui disputas. Tivemos no painel privados, terceiro setor e parceiros públicos e verdadeiramente só conseguiremos fazer deste país um país melhor se cosermos as relações institucionais e trabalharmos em efetiva rede”, disse Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca também vincou que o Município de Vila Nova de Gaia comprometeu-se com as instituições do terceiro setor “a assumir a comparticipação local/nacional ou no todo ou na parte” para que os projetos aos quais estas se candidatem “possam ter sucesso”.

“Muitas delas não têm condições financeiras para assumir [a percentagem de comparticipação própria]. O Município agora que estabilizou do ponto de vista financeiro comprometeu-se a fazê-lo. E também percebemos aqui que temos agora um quadro no Portugal 2020 que pode ser proveitoso ao contrário destes últimos três anos em que estivemos praticamente em branco nesse ponto de vista”, concluiu.

*Lusa

Comentar