Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Presidente do Conselho Regional do Centro apoia novo IP3 sem portagens

Presidente do Conselho Regional do Centro apoia novo IP3 sem portagens
José Lagiosa

O presidente do Conselho Regional do Centro, João Azevedo, defendeu hoje uma nova ligação rodoviária entre Coimbra e Viseu, sem pagamento de portagens, aproveitando o atual Itinerário Principal 3 (IP3).

“As pessoas não querem soluções portajadas, que são uma grande limitação”, disse à agência Lusa o também presidente da Câmara de Mangualde, do PS, indicando que esta posição é partilhada pelo líder da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, José Morgado.

João Azevedo e José Morgado, presidente socialista do município de Vila Nova de Paiva, reuniram-se na semana passada com o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, para debaterem projetos de incidência regional nas áreas ferroviária e rodoviária, em especial a requalificação da Linha da Beira Alta, anunciada há um ano pelo Governo, e a modernização do IP3.

O Governo “tem um grande objetivo”, que consiste em “arranjar soluções para que se possa ter uma estrada diferente”, entre Coimbra e Viseu, o que não passará pela abertura do investimento a privados, nem pela fixação de portagens, acrescentou.

Na reunião com Pedro Marques, na quinta-feira, em Lisboa, em que também participou Nuno Martinho, secretário executivo da CIM Viseu Dão Lafões, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas comunicou aos autarcas que está em estudo “a solução possível”, que incluirá “todas as ligações necessárias” à concretização do investimento.

“A postura deste Governo é de realismo e não de otimismo virtual”, afirmou à Lusa João Azevedo.

Optando por não pormenorizar, frisou que o executivo de António Costa “está empenhado numa solução viável” para resolver os problemas do IP3, que regista elevados níveis de sinistralidade automóvel, com mortos e feridos graves.

“Acredito que seja encontrada uma solução nos próximos meses”, sublinhou.

O presidente do Conselho Regional do Centro realçou, por outro lado, que “a ferrovia tem um papel decisivo na coesão da região” e que o assunto foi também discutido no encontro com o ministro da tutela.

Nesta matéria, a CIM Viseu Dão Lafões partilha da posição da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, que aposta na requalificação da Linha da Beira Alta.

Num encontro com os jornalistas, há um ano, em Mortágua, os autarcas da CIM da Região de Coimbra, liderada pelo presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde das Neves, eleito pelo PS, realçaram, com base num parecer do professor universitário Manuel Tão, que esta solução será “mais económica e eficaz” do que uma nova linha Aveiro-Vilar Formoso, cuja construção era preconizada pelo executivo de Pedro Passos Coelho.

No dia 15 de fevereiro de 2016, ao participar numa reunião do Conselho Regional do Centro, em Castelo Branco, o ministro Pedro Marques confirmou a opção do Governo pela requalificação da Linha da Beira Alta, um investimento que rondará os 690 milhões de euros, financiado em 85% por fundos da União Europeia.

*Lusa

Comentar