Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Dezembro 18, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Porto recebe lançamento do primeiro livro/garrafa publicado em Portugal

Porto recebe lançamento do primeiro livro/garrafa publicado em Portugal
José Lagiosa

A Fundação José Rodrigues no Porto abre as suas portas sábado, 13 de Maio, pelas 16h30, para a apresentação do livro de poesia “Rubá’iyat Poemas do Amor e do Vinho” de Gonçalo Salvado.

A apresentação será feita pelo reconhecido ensaísta e crítico de poesia Fernando Guimarães.

Fernando Guimarães

O livro inclui desenhos inéditos de José Rodrigues, uma colaboração da sua Fundação, e um prefácio de Maria João Fernandes.

Trata-se do primeiro livro/garrafa editado em Portugal, pela “A 23 Edições” que pretende inaugurar um novo conceito de difusão da poesia.

A obra inspirada no título homónimo atribuído ao poeta persa Omar Khayyam (1048 – 1131) celebra a relação do amor e do vinho na literatura, uma constante na poesia do autor e representa ao mesmo tempo uma homenagem ao grande escultor cuja obra se pautou pelo lirismo e pelo diálogo com a poesia que a presente iniciativa igualmente realça.

O livro é ainda enriquecido com grafismos de Ambrósio Ferreira que o ilustram.

Para a obra estão previstas duas edições. A primeira, limitada, consiste num livro/garrafa de vinho produzida para o efeito pela Quinta dos Termos.

Na segunda, em formato album, marcará presença com um prefácio, o poeta e arabista Adalberto Alves e o livro será traduzido para persa.

Do texto de abertura de Maria João Fernandes salientamos:

“Este livro testemunha o encontro de dois grandes líricos, Gonçalo Salvado, poeta exclusivo do erótico e do feminino, Prémio literário da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro em 2013 com doze livros publicados, e o escultor José Rodrigues, um dos introdutores da modernidade em Portugal, que achou no corpo da mulher o seu motivo de eleição.

À poesia musicalmente depurada de Gonçalo Salvado, lapidar quase, na cintilação dos seus versos e no fulgor das suas metáforas que brilham como pequenos sóis com o rosto da amada sempre ao centro, responde a mágica síntese das linhas nos desenhos de Mestre José Rodrigues. Arabescos igualmente musicais, onde vemos irradiar a mesma cintilação dos poemas, fase negra de uma alquimia que realiza sobre o branco do papel a sua combustão e a plenitude de uma transfiguração.

É nas duas valências do símbolo, natural e sobrenatural, humana e transcendente, cósmica e divina que o vinho se torna na poesia de Gonçalo Salvado uma metáfora por excelência do feminino que o poeta em toda a sua poesia canta em ambos os registos, dupla face de um único esplendor. Divino e humano esplendor que se desdobra de verso para verso na poesia e de imagem para imagem nos desenhos que acompanham esta soberba edição, onde o delicioso néctar está presente, e essa é a sua maior originalidade, não só como metáfora, mas na realidade do seu vermelho líquido, capaz de provocar não apenas a embriaguez dos sentidos, mas essa outra, mais nobre, de que é imagem, a embriaguez da alma dedicada a sondar e a possuir através dos mistérios do amor, os mistérios do Espírito.”

José Rodrigues

A temática Amor/Vinho é recorrente na obra de Gonçalo Salvado em livros como Embriaguez (Editora Sirgo: 2001) e Entre a Vinha (Portugália Editora: 2010).

Acerca da sua poesia pronunciou-se o escritor Mário Claudio: “Será necessário lembrar-lhe que se inserem os seus poemas numa das mais brilhantes tradições líricas, a que regista como antepassados o Cântico dos Cânticos e o Rubáiyát, de Omar Khayyam?”.

Também José Rodrigues dedicou ao tema do vinho, que lhe era caro, vários trabalhos escultóricos e inúmeros desenhos.

A Fundação José Rodrigues fica situada na Rua da Fábrica Social, s/n, 4000-201 Porto Telefone: 22-3395120 www.fejoserodrigues.pt

 

 

 

 

Comentar