Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 10, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

38.º Grande Prémio ABIMOTA celebra 40 anos de história com regresso às quatro etapas

38.º Grande Prémio ABIMOTA celebra 40 anos de história com regresso às quatro etapas
José Lagiosa

O Centro de Artes de Águeda recebeu hoje, dia 5 de Junho, a apresentação oficial do 38.º Grande Prémio ABIMOTA, que celebra 40 anos de histórias e contributos para o ciclismo português.

Considerada uma das provas mais significativas e emblemáticas do ciclismo nacional, a edição de 2017 vai para a estrada de 15 a 18 de Junho para percorrer mais de 640 km divididos por quatro etapas, como não acontecia desde 2008, com início em Proença-a-Nova.

Águeda, a Capital das Duas Rodas vai consagrar, como habitualmente, os vencedores.

Esta edição promete ser “inesquecível”, conforme referiu, ao dar as boas-vindas, João Miranda, presidente da Direção da ABIMOTA – Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, responsável pela organização desta corrida de ciclismo de estrada.

Coube ao vice-presidente, Vital Almeida, que também é o Diretor da Prova, após homenagear nomes como Júlio Dinis e Rogério Alves, entre tantos outros, fazer a apresentação detalhada do percurso.

Vital Almeida, Diretor da Prova, fez a apresentação detalhada das quatro etapas e dos seus percursos

A prova, para corredores das Classes Elite e Sub-23, vai decorrer durante quatro dias num percurso que passa por algumas das mais belas Aldeias Históricas de Portugal, com oito camisolas em disputa, 15 equipas (12 nacionais e três espanholas), 21 municípios – sendo Belmonte, Penamacor e Manteigas estreantes, porque recebem pela primeira vez partidas ou chegadas – e quase 650 km percorridos.

Na organização (meios humanos), no total vão estar envolvidas 195 pessoas.

Uma das novidades deste ano serão as transmissões da Sport TV+ em direto, nas partidas e chegadas, e os apontamentos ao longo da prova.

Além disso todas as noites, às 23 horas, vão ser transmitidos os resumos dos melhores momentos de cada etapa, o que vem trazer outro alcance em termos mediáticos à 38.ª edição do Grande Prémio ABIMOTA, que este ano conta com a PT Empresas como patrocinador oficial.

Vítor Mendes, em sua representação, explicou que o desafio foi aceite porque “queremos contribuir para o sucesso desta organização, que valoriza o tecido empresarial da região de Águeda e de todos os territórios por onde passa”.

As oito camisolas que vão estar em disputa e os patrocinadores da edição de 2017

AS QUATRO ETAPAS E ITINERÁRIOS DA EDIÇÃO DE 2017:

Quinta-feira, dia 15 de Junho, a concentração das equipas vai acontecer em Proença-a-Nova, de onde o pelotão vai partir para os primeiros 147 km em direção a Belmonte.

Passagens em Sobreira Formosa, Castelo Branco e Caria.

As contagens para o Prémio da Montanha serão duas: no Alto de Alpedrinha, na Serra da Gardunha e na Meta, no Castelo de Belmonte.

Sexta-feira, 16 de junho, a segunda etapa terá 144,5 km e a partida acontece em Penamacor.

Haverá uma nova passagem em Penamacor, após 26 km de prova.

Casteleiro e Aldeia do Soito são outros dos pontos quentes do dia, que terá apenas uma dificuldade de montanha em Sortelha.

A meta será no Sabugal.

Sábado, 17 de Junho, o dia começa na vila fortificada de Almeida e com quase 20 km de prova, o pelotão passa na outra Almeida, a Aldeia Histórica.

A primeira Montanha desta terceira etapa destaca uma outra Aldeia Histórica, a de Castelo Mendo.

Depois o percurso tem passagens em Vale da Estrela e Orjais.

A pouco mais de 20 km para a chegada, há uma nova contagem de Montanha de 3.ª Categoria e por fim a meta vai surgir em Manteigas, no final de 171,2 km.

Domingo, dia 18, chega a derradeira etapa.

A caravana vai sair de Gouveia, para andar às voltas nas faldas da serra e passa em Gouveia.

Vila Nova de Tazem e Catraia de S. Paio surgem também neste percurso, onde há Montanha de 3.ª em Espinheira – Penacova.

A Mealhada tem Meta Volante e logo depois o pelotão aproxima-se de Águeda, onde vão terminar 176,4 km.

Águeda, a Capital das Duas Rodas vai consagrar, como já vem sendo tradição, os vencedores.

Ainda neste dia, antes da chegada do vencedor Águeda recebe também a 5.ª prova da Taça de Portugal de Paraciclismo, corrida para ciclistas com deficiência.

Houve ainda oportunidade para João Medeiros, secretário-Geral da ABIMOTA, mostrar o que é a associação, que vai muito para além da organização de uma corrida de ciclismo, dando a conhecer os serviços, o Laboratório de Ensaios da ABIMOTA e o projeto para a internacionalização: Portugal Bike Value.

João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, que recebe a etapa inaugural, lembrou que há três anos se associam ao Grande Prémio ABIMOTA, por ser um “veículo de transmissão que dá a conhecer a região”.

Já Jorge Ferreira, vereador da autarquia de Gouveia, também revê na prova “uma boa oportunidade para promover o território, num percurso que passa pelas várias aldeias do concelho”.

Por seu turno, Gil Nadais, presidente da Câmara Municipal anfitriã, referiu que é já uma tradição para a autarquia estar com a prova, que este ano “tem uma ambição renovada, porque houve uma aposta muito forte”.

E continuou, sublinhando que Águeda é a capital da bicicleta, e que apesar da invasão dos mercados chineses “estamos com uma grande expansão, tendo para isso, contribuído as grandes empresas que vieram instalar-se no concelho e estando a autarquia a apostar neste setor”.

Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, fechou a sessão ao dizer que Águeda é “uma terra onde se respira ciclismo e bicicleta e o crescimento desta corrida está com muita força, cor, patrocínios e paixão, o que só vem comprová-lo”.

Deu-se um salto qualitativo que “nos leva para um novo ciclismo, que não são só as corridas mas também a indústria e a tecnologia, sendo este o caminho que deve ser seguido”, concluiu o dirigente.

O Grande Prémio ABIMOTA é uma realização reconhecida publicamente pelo papel que desempenha como promotor do ciclismo e da prática desportiva, com grande tradição e interesse popular no nosso país, fortalecendo as relações entre pessoas e instituições, que congregam esforços para, ano após ano, poderem levar a bom termo mais uma edição.

Comentar