Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Março 28, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Orquestra Académica da Universidade de Coimbra comemora primeiro aniversário

Orquestra Académica da Universidade de Coimbra comemora primeiro aniversário
José Lagiosa

A Orquestra Académica da Universidade de Coimbra (OAUC) está a comemorar o primeiro ano de existência.

O projeto, que nasceu de uma parceria entre a Reitoria e a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, conta com cerca de 90 músicos e ao longo do último ano realizou três concertos de orquestra sinfónica.

Ricardo Peres, presidente da direção da Tuna Académica da UC, faz um balanço muito positivo do trabalho da OAUC.

Segundo o dirigente, a “Orquestra Académica da Universidade de Coimbra veio enriquecer a vasta oferta cultural oferecida aos estudantes da UC, colmatando a falta de um espaço que se dedicasse à interpretação de música sinfónica de elevada qualidade artística, não renunciando ao cariz amador”.

Concluído o primeiro ano de atividade, Ricardo Peres adianta que “o segundo já se encontra em andamento. O trabalho de manter a Orquestra Académica, embora apenas se reflita em pontuais momentos de concerto, é constante e feito semana após semana”.

O próximo ano letivo começará “novamente com um estágio de orquestra de uma semana, que requer uma grande logística e preparação a diversos níveis. O primeiro concerto, que dê as boas-vindas aos novos Estudantes da UC, estará sempre presente no nosso calendário, de forma a não só lhes apresentar o projeto da OAUC mas também mostrar que na UC há espaço para se desenvolver muito mais do que cada curso singularmente proporciona”, nota o Presidente da Tuna Académica da UC.

Em conclusão, afirma Ricardo Peres, “ao fim de 3 concertos de orquestra sinfónica, cerca de 90 músicos, um total de mais de 1500 espetadores por duas salas de espetáculo ao longo de um ano, a Orquestra Académica da Universidade de Coimbra é, sem dúvida alguma, um projeto de sucesso que se irá ouvir em incontáveis palcos ao longo das próximas décadas”.

 

Comentar