Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 10, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Pedrógão Grande: Quarenta e quatro das 64 vítimas já foram identificadas

Pedrógão Grande: Quarenta e quatro das 64 vítimas já foram identificadas
José Lagiosa

As autópsias às 64 vítimas dos incêndios que atingiram a região Centro desde sábado foram concluídas em 48 horas e já foi possível identificar 44 delas, anunciou hoje o gabinete da ministra da Justiça.

Em comunicado, a mesma fonte refere que o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciência Forense (INMLCF) emitiu os certificados de óbito relativos aos 44 corpos, permitindo o seu levantamento pelas famílias.

“A Conservatória do Registo Civil de Coimbra, em estreita articulação com o INMLCF, emitiu igualmente as correspondentes certidões de óbitos, o que permite a realização dos funerais e subsequentes atos sucessórios”, explica.

Segundo a mesma fonte, “a PJ prossegue o processo de identificação judiciária em colaboração com o INMLCF, no sentido de se confirmar, no mais curto período de tempo, as identidades em falta”.

O gabinete da ministra da Justiça informa que as famílias já levantaram 27 corpos e que, por isso, na sexta-feira, “o INMLCF dispensará a unidade de refrigeração móvel – procedimento típico em desastres de massa – e acomodará nas suas instalações de Coimbra todos os corpos ainda não entregues às famílias”.

“Desde a sua recolha no local da tragédia, os cadáveres estiveram, em todos os momentos, acomodados de forma adequada e de acordo com as práticas internacionalmente consagradas para situações de desastres desta natureza, garantindo a dignidade e o respeito devido às vítimas, bem como às suas famílias”, garante.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e que foi dado como dominado na tarde de quarta-feira, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 30 mil hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

*Lusa / Foto: Manuel de Almeida/Lusa

Comentar