Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 21, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Livro reúne memórias dispersas do Sporting da Covilhã

Livro reúne memórias dispersas do Sporting da Covilhã
José Lagiosa

O Sporting da Covilhã, da II Liga de futebol, vai passar a ter reunidas em livro as suas memórias dispersas, numa obra da autoria de Miguel Saraiva, com apresentação marcada para sábado, às 15:00, no Salão Nobre da Câmara da Covilhã.

Nas 300 páginas a cores de “História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990”, escritas pelo antigo dirigente e sócio do clube há mais de 30 anos, constam todos os jogos, resultados, plantéis, estatística de cada jogador e curiosidades sobre o emblema serrano.

O trabalho resulta de oito anos de pesquisa em bibliotecas, em jornais, alguns deles já extintos, em arquivos públicos e privados, de conversas com centenas de jogadores e familiares de antigos atletas e dirigentes.

O interesse de Miguel Saraiva pelo Sporting da Covilhã remete-o para a infância. Há oito anos foi co-fundador do site “Histórias do Sporting Clube da Covilhã”, para a qual começou a procurar material. A certa altura tinha informação e fotos inéditas, elementos que poderiam viver além da página, e ponderou fazer o livro.

O mais difícil nesta espécie de almanaque foi condensar tantos elementos de que dispunha. Daí ter decido parar em 1990, até porque as informações mais difíceis de recolher já as tinha, que eram as fichas de alguns jogos disputados quando os ‘leões da serra’ militavam na III Divisão.

“Este trabalho é dedicado à memória dos jogadores que deram tudo pelo Sporting da Covilhã. É por eles que fiz este trabalho. Também para que as novas gerações saibam a história do clube”, sublinha, à agência Lusa, Miguel Saraiva, 46 anos, assistente operacional num hotel da Covilhã.

No livro estão contadas as origens do Sporting da Covilhã, quem foram os seus fundadores, as direções, a história da primeira sede e a posterior passagem em 1950, para a segunda casa, o primeiro campo, o percurso do clube, a primeira subida ao principal escalão, em 1947/48, e especialmente os 15 anos em que o clube disputou a I Divisão.

José Mendes, presidente do Sporting da Covilhã, elogia a dedicação de Miguel Saraiva, num trabalho feito voluntariamente.

“É mais uma página que se escreve do clube. Agradeço ao Miguel o trabalho que teve. Vai sair um lindo livro e eu já lhe pedi para dar continuidade a esse trabalho, que é fazer um outro livro dos anos mais recentes. Espero que o trabalho que cá vamos deixar seja merecedor das páginas desse outro livro. Tem o apoio não só meu como da direção do clube”, enaltece o dirigente serrano.

Dar sequência à pesquisa já feita está no horizonte do autor, mas esse segundo livro será para quando “houver apoios institucionais financeiros mais fortes”. Até porque reuniu elementos que o justificam, considera Miguel Saraiva.

João Salcedas, ex-jogador serrano, antigo treinador da formação principal e actual coordenador da formação, também louva a iniciativa de Miguel Saraiva.

“O Carlos Miguel tem sido um amigo, um apaixonado pelo Sporting da Covilhã. Tem dado visibilidade e um respeito enorme ao Sporting da Covilhã, por isso está de parabéns. O que tem feito tem-lhe dado pelas barbas em termos de trabalho, mas está ali uma obra que recomendo”, salienta o antigo central serrano, que fez parte da última equipa do clube a subir ao primeiro escalão do futebol nacional.

*Lusa

Comentar