Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 21, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

REPORTAGEM: Incêndios: Populações de Nisa mantêm “a chama” de regressar rapidamente a casa

REPORTAGEM: Incêndios: Populações de Nisa mantêm “a chama” de regressar rapidamente a casa
José Lagiosa

O “medo” de perder os bens e o desejo de regressar rapidamente a casa dominam os sentimentos das pessoas, sobretudo idosas, hoje retiradas de três aldeias do concelho de Nisa, Portalegre, devido aos incêndios que lavram na zona.

Ao todo, cerca de 100 pessoas foram retiradas das aldeias de Falagueira, Salavessa e Monte Claro e transportadas para o pavilhão desportivo de uma escola da vila de Nisa, sede do concelho.

Apesar de o fogo se espalhar pelo concelho, a maioria dos habitantes das aldeias evacuadas mantém “a chama” de regressar ainda esta noite às suas casas.

Rosário Mendes Mota, de 83 anos, viajou de Falagueira, como muitos outros habitantes da aldeia, num autocarro da câmara municipal, deixando para trás os seus bens, principalmente a casa.

No pavilhão desportivo, a idosa desabafa que tem “medo” de perder as suas coisas, em que inclui um trator agrícola.

“Só víamos fumo e cinza. Era difícil respirar e isso foi o que nos fez sair de casa”, relatou.

Ao lado, Maria do Céu Graça, de 72 anos, também fugiu às chamas no autocarro da autarquia. No entanto mantém a esperança de regressar ainda hoje a casa, acompanhada pela neta, que reside em Lisboa, mas que está a passar férias na aldeia de Falagueira.

Na área da saúde, o presidente da Unidade Local do Norte Alentejano, João Moura Reis, disse à Lusa que o Centro de Saúde de Nisa está a funcionar com horário alargado e com mais funcionários, de “forma consertada” com as entidades locais.

As populações foram retiradas das aldeias de Falagueira, Monte Claro e Salavessa, durante a tarde de hoje, e transportadas para o pavilhão desportivo da Escola Básica do 2.º e 3.º ciclos professor Mendes dos Remédios, na vila de Nisa.

Já na quarta-feira à noite, tinham sido evacuadas as povoações de Falagueira, Vila Flor, Amieira do Tejo e Albarrol, devido às várias frentes de fogo, tendo as cerca de 100 pessoas regressado hoje de manhã às suas casas.

No concelho de Nisa, onde foi ativado o Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil, continuavam hoje à tarde a lavrar dois incêndios, cada um com duas frentes, que mobilizavam, às 20:00, 464 operacionais, com o apoio de 142 viaturas e 11 meios aéreos, segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Os incêndios obrigaram ao corte do Itinerário Principal (IP) 2, no nó Gardete, entre a A23 e Nisa, troço que faz ligação à Barragem de Fratel, no limite com o distrito de Castelo Branco.

Um dos fogos teve origem no de Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco, que passou na terça-feira à noite o rio Tejo e chegou ao concelho vizinho de Nisa, através do monumento natural das Portas de Ródão.

O alerta deste incêndio no concelho de Nisa foi dado às 21:34 de terça-feira, nas Portas do Ródão, freguesia de Santana.

Na quarta-feira à tarde, também o fogo de Mação, no distrito de Santarém, se propagou ao concelho de Nisa, começando por Albarrol, na zona de Arez e Amieira do Tejo, tendo o alerta sido dado às 20:49.

*Lusa / Foto: Lusa

Comentar