Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Março 28, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Pedrógão Grande: Autarca de Castanheira de Pera ficava satisfeito sem problemas nas comunicações

Pedrógão Grande: Autarca de Castanheira de Pera ficava satisfeito sem problemas nas comunicações
José Lagiosa

O presidente da Câmara de Castanheira de Pera disse hoje que teria ficado satisfeito se não tivesse havido problemas com as comunicações no incêndio de Pedrógão Grande e adiantou que o assunto é para os técnicos e investigadores.

“O que me deixava satisfeito é que não tivesse havido toda esta chatice e estes problemas com as comunicações”, afirmou à agência Lusa, o presidente da Câmara de Castanheira de Pera, Fernando Lopes.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 12 pedidos de ajuda sem resposta durante o incêndio de Pedrógão Grande por falta de meios e 25 por falhas de comunicação, registando-se vítimas e casas destruídas em alguns locais onde foi pedido apoio.

Numa resposta enviada ao Governo, a ANPC aponta para a dispersão do dispositivo face à disseminação de localidades afetadas, para a velocidade das chamas e para as dificuldades nas comunicações como fatores que condicionaram a resposta dos operacionais no incêndio de Pedrógão Grande, que provocou, pelo menos, 64 mortos.

O autarca explicou que não tem um conhecimento aprofundado da resposta enviada pela ANPC ao Governo mas adiantou que “só a pode aceitar”.

“Digo que quero acreditar que foi feito um inquérito muito rigoroso sobre essa matéria”, frisou.

Quanto ao défice de comunicações em Castanheira de Pera e em Pedrógão Grande, Fernando Lopes confirma que constatou e verificou que “houve défice de comunicações numa operadora em primeiro lugar e em outra a seguir”.

Já quanto ao funcionamento da Rede Nacional de Emergência e Segurança (SIRESP), diz que apesar de não ser a pessoa mais indicada para se pronunciar, viu “algumas interrupções nas comunicações e alguma dificuldade”.

“Efetivamente, isso constatou-se onde pude estar a acompanhar bombeiros. Tecnicamente não me quero pronunciar”, sustentou.

*Lusa

Comentar