Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Pedrógão Grande: Criada a Associação das Vítimas do Incêndio

Pedrógão Grande: Criada a Associação das Vítimas do Incêndio
José Lagiosa

A Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande, que causou pelo menos 64 mortos, foi oficialmente fundada na assembleia geral que decorreu no domingo.

A assembleia geral, que se realizou na Casa da Cultura de Pedrógão Grande, “decorreu com sucesso” e a Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande “foi oficialmente fundada numa reunião muito participada e que contou com mais de meia centena de familiares”, disse hoje à agência Lusa Nádia Piazza, presidente da recém-constituída associação.

Na mesma assembleia geral, foram ainda discutidos e aprovados os estatutos da associação e eleitos os órgãos sociais da mesma, que vão agora proceder aos atos necessários para a sua legalização.

“O tema dos incêndios, as suas causas, dimensões e danos materiais e humanos são a maior preocupação da associação, a par do apuramento das responsabilidades”, afirmou Nádia Piazza, referindo que o trabalho mais imediato da associação passa por “receber a admissão de novos associados que não puderam estar na reunião”.

Segundo a presidente da associação, haverá, nas próximas semanas, uma reação da associação ao conteúdo dos relatórios e pareceres até agora tornados públicos pelo Governo.

A associação está também em contacto com um movimento cívico da Galiza para “a coordenação futura de esforços diplomáticos de sensibilização junto das instâncias europeias”.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.

*Lusa

Comentar