Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Pedrógão Grande: Praia das Rocas recupera e está próxima dos valores de 2016

Pedrógão Grande: Praia das Rocas recupera e está próxima dos valores de 2016
José Lagiosa

A Praia das Rocas, complexo com ondas artificiais em Castanheira de Pera, um dos concelhos afetados pelo incêndio que começou em junho em Pedrógão Grande, tem registado uma recuperação e o número de entradas está próximo dos valores de 2016.

O número de entradas na Praia das Rocas nas últimas semanas tem estado “ligeiramente abaixo de dias idênticos” em 2016 – que foi um ano “excecional” -, mas a expectativa é a de atingir os níveis do período homólogo em agosto, disse à agência Lusa o administrador do complexo, José Pais.

“As pessoas têm dado uma boa resposta”, nota, considerando que a Praia das Rocas acaba por ser uma “âncora do território”, ajudando a dinamizar a economia local.

Segundo José Pais, algumas das pessoas que visitam o complexo vão “pela curiosidade”, mas também “sensibilizadas” pelo incêndio que afetou a região.

Catarina Ascenso foi de Leiria com o marido e a filha “dar um passeio” até Castanheira de Pera.

O incêndio influenciou a ida até à Praia das Rocas, que já conheciam de nome, mas que nunca tinham visitado, explica.

Já Júlia Almeida decidiu encontrar alojamento em Vila de Rei, de onde, todos os dias, procura “visitar todas as praias fluviais” da região durante uma semana de férias.

“Escolhemos esta região afetada para passar as férias, precisamente para ajudar a população com o nosso consumo”, frisou a turista da Pampilhosa da Serra.

Numa zona tão afetada pelos incêndios, os locais “necessitam do apoio dos turistas para terem capacidade para reconstruir o que ardeu”, sublinhou Júlia.

Já o casal António Ferreira e Maria Costa, reformados, foram dar apenas um salto até à Praia das Rocas, para “conhecer”.

São de Leiria, mas só agora visitam a praia com ondas artificiais.

“Quando foi o incêndio, vimos na televisão a Praia das Rocas. Foi a única maneira de saber que havia aqui alguma coisa”, explanou António Ferreira, que, se por hoje dá apenas um passeio por Castanheira de Pera, não fecha a hipótese de no futuro “passar o dia” pela zona.

“Pode ser a primeira de mais visitas”, notou.

Em pouco mais de dez anos de atividade, a Praia das Rocas já ultrapassou a marca de um milhão de visitantes.

Em 2016, ultrapassou as 120 mil entradas, depois de em 2015 ter também registado um recorde de afluência ao contabilizar 90 mil ingressos.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.

*Lusa

Comentar