Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Noite Europeia dos investigadores revela jovem investigador de Proença-a-Nova

Noite Europeia dos investigadores revela jovem investigador de Proença-a-Nova
José Lagiosa

André Alves Dias, jovem natural de Proença-a-Nova e residente na aldeia de Vale da Mua, esteve, na Semana Europeia dos Investigadores, no Centro Ciência Viva da Floresta (CCVF) onde falou de sustentabilidade.

O investigador abordou a forma como podemos utilizar os nossos recursos naturais, caso da madeira de pinheiro bravo, a cortiça e outros na construção civil, reduzindo o impacto na natureza e as emissões de carbono resultantes de todo o processo de transformação, que envolve a utilização de materiais como o betão, o aço, as argilas e alguns derivados da madeira.

André Dias frequenta o Doutoramento de Engenharia Civil na Universidade de Coimbra Tema: “Life -Cycle Assessment of Timber Structur e trabalha no SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta Bolseiro de Investigação no Projecto: “Resina +” financiado pela Empresa: Pedrosa e Irmãos Lda.

O objectivo do projecto “Resina +” foi realizar um programa de pesquisa, desenvolvimento e experimentação com um método alternativo de resinagem.

O convidado do CCVF realizou uma apresentação muito apreciada pelo público presente o que permitiu diversas intervenções e um permanente diálogo que permitiu esclarecer de forma simples a importância que o trabalho dos cientistas tem para a sociedade.

Durante ao mês de Setembro e dentro deste projecto financiado pela Comunidade Europeia que visa aproximar os cientistas da sociedade e dos cidadãos, o CCVF realiza visitas à Eco-casa da Floresta, onde são construidos modelos que aproveitam as energias renováveis para a produção de energia eléctrica e movimento, captadores de água da chuva, cozinha solar e outras atividades que apelavam uma maior consciência para os comportamentos a adoptar em face das alterações climáticas que estamos a enfrentar e que no futuro se poderão agravar se nada for feito.

No dia 20 de Outubro realizar-se-á mais uma oficina sobre a utilização das plantas aromáticas e medicinais na alimentação, dinamizada pelo Chef Rui Lopes com o tema “CULINÁRIA SEM SAL”.

Segundo a Direção Geral de Saúde (DGS), a “utilização de ervas aromáticas na redução da ingestão de sal na dieta poderá influenciar dupla e positivamente a saúde, quer pela redução da quantidade de sal nos alimentos, quer pelas propriedades benéficas que apresentam para a saúde”.

Nesta oficina o chef Rui Lopes irá mostrar quais as ervas aromáticas mais aconselhadas para temperar os pratos e assim reduzir a ingestão de sal.

No final haverá uma degustação.

No dia 4 de novembro, teremos  a “Oficina de compotas, chutneys, vinagres e conservas de fruta da estação” sob a orientação da Formadora Mónica Pereira que irá mostrar como se  pode conservar, fazer compotas e chutneys com a fruta da época, muito mais saborosa e barata e que certamente vai fazer as delícias de todos durante o resto do ano.

Todas as informações estão disponíveis em https://www.ccvfloresta.com/.

 

Comentar