Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Junho 1, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Empresa Porcelanas Costa Verde substitui cobertura de amianto por painéis solares

Empresa Porcelanas Costa Verde substitui cobertura de amianto por painéis solares
José Lagiosa

A Porcelanas Costa Verde inaugurou hoje, em Vagos, uma central fotovoltaica que garantirá 25% das necessidades energéticas da empresa nos próximos 15 anos, um investimento de 1,5 milhões de euros partilhado com a multinacional francesa Helexia.

Os painéis fotovoltaicos, que captam a energia do sol, foram instalados na cobertura da empresa de Vagos, Aveiro, substituindo mais de 20 mil metros quadrados de telhas de fibrocimento que continham amianto, produto considerado cancerígeno pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Este investimento é duplamente satisfatório. Por um lado representa uma aposta clara na economia verde; por outro levou à substituição de um produto nocivo para a saúde pública”, disse a dirigente da associação ambientalista Quercus, Carmen Lima, que participou na cerimónia de inauguração.

Segundo Francisco Proença, administrador industrial da Costa Verde, a empresa investiu 700 mil euros na remoção da cobertura de fibrocimento e coube à Helexia Portugal, ramo da multinacional francesa especialista em soluções energéticas, investir os restantes 800 mil euros na instalação dos painéis.

Esta “energia verde” será usada para alimentar o processo de laboração da fábrica, sendo o excedente de energia vendido pela Helexia para utilização na rede pública. No final da parceria de 15 anos, a Porcelanas Costa Verde ficará com a propriedade da central fotovoltaica.

“Neste processo a Helexia estabelece-se como um parceiro e não como um fornecedor de serviços”, refere Luís Pinho, diretor-geral Helexia Portugal, dizendo que o projeto “representa redução de consumos, redução de custos e redução de CO2”.

O presidente do Conselho de Administração da Costa Verde, Carlos Teixeira, estima que a nova central fotovoltaica permita a redução anual de 620 toneladas de dióxido de carbono, contribuindo para a diminuição da pegada ecológica da empresa.

*Lusa / Foto: ambientemagazine.com

Comentar