Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 10, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Novo presidente da associação académica da Covilhã quer aproximação ao tecido económico

Novo presidente da associação académica da Covilhã quer aproximação ao tecido económico
José Lagiosa

O novo presidente da Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI), Afonso Gomes, definiu hoje a aproximação entre os estudantes e o tecido económico e empresarial como uma das prioridades do mandato.

“Vamos procurar uma maior aproximação da associação académica ao tecido económico e empresarial, de modo a que os estudantes possam ter um contacto mais direto com a realidade do mundo do trabalho. Por outro lado, permitir também que as empresas possam ficar a conhecer melhor as respostas que a UBI lhes pode dar em termos de inovação, investigação e mão-de-obra qualificada”, afirmou, em declarações à agência Lusa, o novo representante dos estudantes desta instituição de ensino superior sediada na Covilhã, distrito de Castelo Branco.

Aluno do mestrado em Ciência Política, Afonso Gomes tem 23 anos e foi eleito com 1.315 votos, contra os 831 da lista concorrente, que era liderada por Pedro Gouveia.

No sufrágio, que decorreu na quinta-feira, registaram-se ainda 86 votos em branco e 30 votos nulos, sendo que houve 2.262 votantes, num universo de 7.145 alunos que poderiam votar.

Com uma equipa que integra alguns elementos da anterior direção, que era liderada por Joana Bento, Afonso Gomes tomará posse em janeiro para continuar o “trabalho que foi bem feito” e “melhorar os aspetos menos positivos”.

“Fortalecer a relação entre a associação e os alunos”, “melhorar a relação com a comunidade local, interagindo das mais diversas formas” e “mostrar que a atividade da AAUI vai muito para além da parte recreativa e das festas académicas” são algumas das metas que Afonso Gomes pretende alcançar.

A nível interno, o novo representante dos estudantes da UBI também assume preocupação com o passivo da organização.

Na agenda de Afonso Gomes também está a questão do subfinanciamento da universidade, prometendo fazer tudo o que estiver ao seu alcance na reivindicação da alteração do modelo de financiamento do ensino superior.

“Nesse ponto, obviamente que estamos ao lado da reitoria porque estamos a falar de uma clara injustiça. Ninguém pode aceitar que a nossa universidade receba menos [transferências do Estado] do que outras universidades que até têm menos alunos”, frisou.

*Lusa / Foto: jornaldofundao.pt

Comentar