Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Fevereiro 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

António Salvado falou da poesia de Júlio Dinis na Biblioteca de Castelo Branco

António Salvado falou da poesia de Júlio Dinis na Biblioteca de Castelo Branco
José Lagiosa

António Salvado foi o orador convidado para a palestra subordinada ao tema “Júlio Dinis, Poeta” que decorreu, no passado dia 3 de fevereiro, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco.

Com organização da Real Associação da Beira Interior e apoio da Câmara Municipal de Castelo Branco, organizou no dia 3 de Fevereiro, na Biblioteca, a palestra contou, na mesa, com o orador e o representante da Juventude Monárquica Rui Mateus.

António Salvado, iniciou a palestra ao lembrar que Júlio Dinis (pseudónimo de Joaquim Guilherme Gomes Coelho) nasceu em 1839, no Porto. Escreveu romances que hoje são referidos, tais como: “Os Fidalgos da Casa Mourisca”, “As Pupilas do Senhor Reitor”, “A Morgadinha dos Canaviais” e os contos de “Serões na Província”, nos quais os finais eram sempre felizes, sendo um escritor do Romantismo.

Formou-se em medicina na Escola Médico – Cirúrgica do Porto, teve uma
vida curta, ao morrer com tuberculose.

Júlio Dinis começou por escrever obras dramáticas e também escreveu poemas, coisa rara num romancista, mesmo nos dias de hoje.

Ao contrário dos seus romances que terminavam com finais felizes, na maioria dos seus poemas prevalece o apelo à melancolia, à decadência física e espiritual, à mágoa, à morte, embora o autor fosse uma pessoa que adorava a vida.

Manuel Costa Alves e Maria de Lurdes Barata (Milola)

Da poesia de Júlio Dinis contam-se inúmeras publicações como, “Entre o Sonho e a Realidade”, título do primeiro poema do seu livro, “O Amor e Desamor”, “Belíssimas Descrições de Aspectos de Natureza”, “O Recurso ao Lirismo de Ritmo Popular”, de acordo com os seus romances, “A Saudade de Momentos Radiantes do Passado”, “O Apelo a Deus”, “A Melancolia”, “O Dialogo” com Silêncio”, “O Canto”, “Terríficos Quadros”, “Vicissitudes”, “Poemas de Amor e Delicadeza”, “A Esperança Versus Desesperança”, “Simples, Meros Passatempos Caseiros”, “Excertos de Cartas”, “Uma Consulta”, “A Morte de um Poeta”, “O Ciúme”, “O Pessimismo”, “A Juventude”, “Presságios”, “A Efeméride das Coisas”, entre muitos outros.

Durante a palestra António Salvado, Manuel Costa Alves, Maria de
Lurdes Barata (Milola) e a D. Antónia (aluna da Usalbi) recitaram
poesias.

 

Comentar