16.7 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Setembro 30, 2020
No menu items!
Início Internacional Ponto de Vista... por António Justo

Ponto de Vista… por António Justo

Cumplicidade da Alemanha e da EU na invasão turca contra os curdos

Conflito turco-curdo transportado para a Alemanha
 “Erdogan terrorista!”, tanques alemães, fora do Curdistão! “,”Merkel financia, Erdogan bombardeia!” „Afrin, Afrin!” são os gritos da marcha de 15 a 20 mil manifestantes, especialmente curdos, em Hanôver no Sábado passado (17.03.2018). Manifestam-se, tal como em outras cidades alemãs, contra a ofensiva militar turca no norte da Síria. Na sexta-feira, 16 civis foram mortos num ataque a um hospital da cidade Afrin de maioria curda.

António Justo

A ofensiva turca “Ramo de Oliveira” no norte da Síria, no parecer do Serviço Científico do Parlamento Alemão, não é compatível com o direito internacional. O artigo 51 da UN Carta só permite o direito à autodefesa. Forças armadas turcas nesta ofensiva já “neutralizaram” 3.055 curdos, como relata o governo turco!
Ataques contra organizações e mesquitas turcas
Depois da invasão da Síria pela Turquia contra os curdos, a Alemanha assiste no seu território a uma série de ataques contra mesquitas e Instituições turcas.
Segundo a Ditib, (União turco-islâmica – organização tecto de 900 associações turco-islâmicas na Alemanha), nos passados dois meses houve ataques a 27 mesquitas e 12 empresas e clubes turcos na Alemanha.
Já que a imprensa não se escandaliza com o escândalo da perseguição ao povo curdo, os curdos e apoiantes parecem determinados a escandalizar para poderem ser ouvidos. Na Alemanha prossegue a guerra turco-curda na Alemanha com outros meios. Na Alemanha acumulam-se extremistas turcos, neonazistas, membros do IS e extremistas de esquerda à mistura com muita gente de boa vontade.
Na Alemanha vivem 3 milhões de cidadãos de origem turca e, destes, cerca de um milhão são curdos. O conflito entre os dois grupos é cada vez maior.
Esta concentração de ataques é classificada como reacção à invasão militar turca contra a organização curda YPG no norte da Síria junto a Afrin.
O Partido dos trabalhadores curdos (PKK) na Turquia e a Milícia curda YPG na Síria, lutam por um estado curdo independente no seu território de origem. Para impedir tal, o exército turco procura aniquilar os curdos do estado vizinho porque no caso de ser formado um estado curdo em parte do Curdistão vizinho (Síria) então a região curda da Turquia mais facilmente conseguiria esforçar o seu reconhecimento, se não com estado independente, como estado federado!
Turquia conquista Afrin
Ancara festejou ontem (18.03) a tomada de Afrin onde os soldados já destruíram a estátua de Kawa símbolo da luta curda contra a tirania. O Observatório Independente dos Direitos Humanos na Síria fala de 300 civis vítimas da invasão turca. A Turquia apoiada pelo grupo aliado FSA (exército sírio livre) tenciona prosseguir a invasão na direção de Manbidsh, contra a organização curda YPG aliada dos USA na luta contra o grupo terrorista IS (Estado Islâmico). A Turquia não tolera que o povo curdo faça do Curdistão o seu estado. De futuro prevê-se paralelamente ao terrorismo IS, a luta pela independência do povo curdo, através da guerrilha até que as nações lhe reconheçam o direito a à sua etnia e a mandarem na própria terra.
Quanto aos ataques às instituições turcas na Alemanha, as autoridades ainda apalpam o escuro no terreno e partem do princípio que são ataques de motivação política e veem nos actos de violência uma reacção, à ofensiva militar contra os curdos; segundo a Polícia Criminal Federal (BKA), a cena esquerda identifica-se com a situação dos curdos; também o órgão de Proteção constitucional alemã relata a presença de membros do PKK nas demonstrações curdas na Alemanha; também as associações islâmicas veem a participação da organização PKK que é proibida na Alemanha. Os políticos alemães sentem-se inquietados com o potencial da escalação do conflito de modo que o Ministério do Interior já pensa em colocar as mesquitas sob proteção policial especial, tal como acontece com as sinagogas.
Cumplicidade no crime contra os curdos
Em nome da cooperação internacional, a Alemanha faz negócio com armas apoiando a Turquia na guerra contra os curdos da Síria.
Este ano o governo alemão, após a invasão da Síria pela Turquia, aprovou a entrega de armas à Turquia no valor de 4,4 milhões de euros.
No mesmo espaço de tempo do ano passado tinha exportado armas no valor de 3,6 milhões. Sahra Wagenknecht do partido Die Linke (A Esquerda) acusa a Alemanha de cumplicidade e de ajuda à Turquia na invasão da Síria e no crime contra os curdos. Mais dados sobre o negócio de armas, aqui.
O ódio divide a sociedade e não pode ser justificado pela solidariedade com os curdos na síria nem com a solidariedade da Alemanha com a Turquia ao apoiá-la e fornecer-lhe armas da morte. Por outro lado, ataques a instituições religiosas são também ataques à liberdade. (Nota: uma reflexão como desagravo do povo curdo: http://antonio-justo.eu/?p=3531).

*António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo, http://antonio-justo.eu/?p=4729

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Belmonte Convida é um concurso que visa dinamizar economia local

O presente concurso é uma parceria entre o Município de Belmonte e a Beltour, Turismo e Eventos e visa promover e dinamizar...

Covid-19: Festival da Lusofonia de Macau destaca grupos artísticos locais

O 23.º Festival da Lusofonia, um dos eventos da cultura lusófona em Macau, vai decorrer entre 16 e 18 de outubro, com...

A “TAP é do povo português para o bem e para o mal” defende o ministro Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas defendeu hoje que a TAP "é do povo português para o bem e para o mal" referindo-se aos...

Município da Sertã prorroga o prazo de pagamento das facturas da água

Em virtude do atraso verificado na distribuição de correspondência no concelho da Sertã, motivada por greves de trabalhadores dos CTT, o Município...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: