Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Junho 22, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cidadãos de Ródão pedem intervenção das autoridades ambientais na Centroliva

Cidadãos de Ródão pedem intervenção das autoridades ambientais na Centroliva
José Lagiosa

Um grupo de cidadãos de Vila Velha de Ródão apresentou, no passado dia 9 de março, na reunião pública da Câmara, um abaixo-assinado a pedir a intervenção efetiva das autoridades ambientais em relação à empresa Centroliva.

Em causa estão “as emissões poluentes para a atmosfera e para a ribeira do Açafal” feitas pela empresa e que comprometem a qualidade de vida da população.

O abaixo-assinado reúne a assinatura de cerca de seiscentos cidadãos preocupados com a poluição gerada pela Centroliva.

“Fumos densos que pairam sobre toda a parte baixa da Vila, habitações, espaços verdes e agrícolas, tornando o ar irrespirável e enjoativo”, são alguns dos aspetos destacados, realçando-se que a situação é “substancialmente agravada no período noturno, e ainda com as descargas de efluentes industriais líquidos para as linhas de água mais próximas, nomeadamente a Ribeira do Salgueiral e Ribeira do Açafal”.

Os assinantes defendem que a colocação de filtros na primavera de 2017, após a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro ter detetado o não cumprimento das normas de qualidade de ar, não resolveu o problema.

“O quadro não só não melhorou como se agravou, com especial incidência no período de laboração noturno e no fim-de-semana, originando situações em que o amanhecer se caracteriza por uma enorme mancha de fumo que envolve toda a Vila, com um cheiro verdadeiramente nauseabundo, colocando em causa a qualidade de vida da população, a sua fixação em Vila Velha de Ródão, bem como todos os investimentos concretizados na área do turismo”, lê-se no abaixo-assinado, onde se pede “a suspensão da laboração das fábricas até que se demonstre que as mesmas cumprem todas as exigências legais em matéria ambiental”.

Durante a reunião da Câmara Municipal, um dos signatários da subscrição justificou a iniciativa com a necessidade sentida por este grupo de cidadãos de se associar ao esforço que tem vindo a ser encetado pela autarquia na resolução deste problema.

Os cidadãos envolvidos esperam assim que o conjunto das assinaturas recolhidas force uma “tomada de posição que resolva de forma inequívoca e definitiva o problema colocado por esta empresa”.

A preocupação da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão com as inconformidades ambientais graves resultantes da laboração da Centroliva não é recente, tendo o município solicitado no passado a intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente.

Em janeiro de 2017, a Centroliva foi alvo de um despejo administrativo por parte da autarquia por terem sido detetadas irregularidades no processo de licenciamento.

Em finais do mesmo ano, após a realização de cinco ações inspetivas e subsequente despacho da Inspeção Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT), foi determinada a suspensão da atividade da Centroliva.

No entanto, em novembro de 2017, a empresa interpôs uma providência cautelar com vista à suspensão dos despachos proferidos pela IGAMAOT, que viria a ser aceite pelo Tribunal Administrativo de Castelo Branco (TACB).

Já em janeiro deste ano, o TACB indeferiu também o recurso apresentado por parte do Ministério do Ambiente, permitindo que a Centroliva continue a laborar provisoriamente.

Luís Pereira, presidente do município de Vila Velha de Ródão, congratulou os promotores, deste exercício de cidadania, que reputou de máxima importância e como assinalável reforço dos esforços desenvolvidos pelo Município na defesa da qualidade de vida de todos os residentes em Vila Velha de Ródão.

Foi ainda assumido o compromisso, por parte desta autarquia, de enviar o abaixo-assinado ao Primeiro-ministro, ao Ministro do Ambiente e à Comissão do Ambiente da Assembleia da República.

Comentar